Sem categoria

Parceria leva trabalho a detentas da Penitenciária de Foz do Iguaçu

A Penitenciária Feminina de Foz do Iguaçu – Unidade de Progressão (PFF-UP) deve receber 120 máquinas de costura computadorizadas para a produção de lençóis, fronhas e roupas a partir de maio. (Foto: Divulgação DEPEN)

Unidade vai receber 120 máquinas de costura computadorizadas para a produção de lençóis, fronhas e roupas, a partir de maio. Previsão é empregar 100 presas. Parceria do Depen-PR é com a indústria têxtil.

A Penitenciária Feminina de Foz do Iguaçu – Unidade de Progressão (PFF-UP) vai receber 120 máquinas de costura computadorizadas para a produção de lençóis, fronhas e roupas, a partir de maio.

A parceria do Departamento Penitenciário do Paraná (Depen-PR) é com a indústria têxtil Linho Branco Enxovais e o investimento total, entre equipamentos, melhorias e qualificação das detentas deve chegar a R$ 650 mil. A previsão é empregar 100 presas.

PRODUÇÃO – A produção inicial, que está prevista para começar em maio deste ano, após a finalização das obras de adequação da fábrica, deve ser de mil peças por dia, entre lençóis, fronhas e camisetas brancas. A empresa, que atua no ramo desde 2013, também produz jalecos cirúrgicos e roupas hospitalares para profissionais da saúde (conjuntos privativos) e pacientes.

“A empresa está realizando o treinamento de 16 internas uma vez na semana. Uma vez finalizada esta etapa, daremos início à produção. É mais um canteiro de trabalho na unidade, que segue em busca de aumentar a quantidade de detentas trabalhando”, explicou a diretora da unidade, Claudia Grignet Fardoski Souto.

De acordo com o gerente operacional da indústria, Rodrigo Gularte, além de capacitar e empregar as detentas da fronteira, a parceria vai suprir uma outra dificuldade da empresa que é a contratação de mão de obra qualificada.

MÃO DE OBRA – Os canteiros de trabalho do Sistema Penitenciário obedecem as regras da Lei de Execução Penal. Além de remir um dia de pena a cada três trabalhados, os internos recebem qualificação e um salário mínimo, do qual 25%, retornam ao Estado para custear as despesas com a instalação das empresas dentro das unidades.

Leia mais: http://www.aen.pr.gov.br/modules/noticias/article.php?storyid=105762&tit=Parceria-leva-trabalho-a-detentas-da-Penitenciaria-de-Foz-do-Iguacu

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *