Sem categoria

Duplicação da BR-469 é anunciada e ordem de serviço deverá ser assinada em setembro

(Foto: Patrícia Iunovich)

O anúncio foi feito nesta sexta-feira (28) pelo ministro Tarcísio Gomes de Freitas, pelo governador Carlos Massa Ratinho Júnior e pelo diretor-geral brasileiro de Itaipu, general Joaquim Silva e Luna.

A tão sonhada duplicação da Rodovia das Cataratas, a BR-469, num trecho de 8,5 quilômetros entre o trevo da Argentina até o portão do Parque Nacional do Iguaçu, vai deixar de ser promessa e tornar-se realidade.

O anúncio foi feito nesta sexta-feira (28) pelo ministro de Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, pelo governador do Paraná, Carlos Massa Ratinho Júnior, e pelo diretor-geral brasileiro de Itaipu, general Joaquim Silva e Luna, durante a inauguração de obras de ampliação do Aeroporto Internacional de Foz do Iguaçu e visita às obras da nova ponte entre Brasil e Paraguai.

A expectativa é que até maio seja liberada a Licença de Instalação do Ibama para a duplicação da rodovia, com o lançamento da licitação entre julho e agosto. A ordem de serviço deve ser assinada em setembro, com início imediato das obras e conclusão prevista até março de 2022. O investimento será de aproximadamente R$ 135 milhões. Desse total, 70% serão financiados pela Itaipu e 30% pelo governo do Estado, que deverá receber do Ministério de Infraestrutura a gestão da obra.

O ministro Tarcísio Gomes de Freitas destacou que o apoio de Itaipu tem sido fundamental para viabilizar grandes obras de infraestrutura, citando não apenas a duplicação da BR-469 como também a ampliação da pista do aeroporto (que deve ser entregue em abril de 2021) e a construção da nova ponte entre Brasil e Paraguai – todos com recursos da binacional. “São investimentos importantes porque vão tornar o aeroporto mais atrativo e impulsionar o turismo na região”, afirmou.

Corredor turístico
A BR-469 é a única via de acesso às Cataratas do Iguaçu e ao Aeroporto Internacional e também o mais importante corredor turístico da cidade, onde estão concentrados alguns dos principais hotéis e atrativos. A falta de duplicação provoca congestionamentos constantes e prejuízos ao turismo.

Em época de férias e feriados prolongados, as filas no local são quilométricas. A obra já chegou a ser anunciada há mais de 20 anos por vários governos, mas nunca saiu do papel.

No caso da duplicação da BR-469, o projeto já existe e foi doado pela Itaipu. A revisão da proposta foi feita pelo Fundo Iguaçu, que recebe a taxa espontânea de visitação dos turistas que passeiam na Itaipu, no Parque Nacional e no Marcos das Três Fronteiras. O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) delegou a obra ao Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná (DER/PR).

Com informações da Itaipu Binacional

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *