Sem categoria

Coronavírus: Veja o que abre e o que fecha em SC após decreto de situação de emergência

A medida de prevenção e enfrentamento ao Covid-19 foi publicada pelo governador Carlos Moisés (PSL) na terça-feira.

Com a publicação do decreto de situação de emergência em Santa Catarina para enfrentamento da pandemia decorrente do coronavírus, com necessidade de restrição da circulação de pessoas, foram definidas mais restrições de serviços.

A medida, publicada pelo governador Carlos Moisés (PSL) na terça-feira (17), tem prazos de validade diferentes para as determinações. A Polícia Militar deve monitorar se o decreto está sendo cumprido.

O último boletim do Ministério da Saúde aponta que Santa Catarina tem sete casos confirmados de casos da doença, mas o secretário de estado da Saúde, Helton Zeferino, disse durante a coletiva na terça que esse número é maior. O estado monitora 220 casos suspeitos.

A decisão foi tomada após a identificação de transmissão comunitária, quando não é possível estabelecer de onde partiu o contágio, na região Sul do estado. Segundo o governo, a situação pode ser identificada em outras regiões a qualquer momento.

Permanecem funcionando:

  • Farmácias;
  • Unidade de saúde;
  • Supermercados;
  • ​Postos de combustíveis;
  • Distribuidoras de água;
  • Distribuidoras de gás;
  • Tratamento e abastecimento de água;
  • Distribuição de energia elétrica;
  • Assistência médica e hospitalar;
  • Recolhimento de lixo;
  • Serviços de telecomunicações;
  • Funerárias;
  • Imprensa;
  • Segurança privada;
  • No governo: Secretaria de Estado de Segurança Pública, de Saúde, Defesa Civil, da Administração Prisional e Socioeducaiva (SAP).

Outros serviços que seguem normalmente: Motoristas de aplicativo e táxis; aplicativos e estabelecimentos com delivery; aeroportos. (*Informações foram divulgadas pelo governo na quarta-feira sem citação no decreto)

Suspendem as atividades:

  • Transporte público municipal: suspensos por sete dias, a partir do momento em que as empresas forem notificadas;
  • Transporte público intermunicipal: suspensos por sete dias, a partir do momento em que as empresas forem notificadas;
  • Transporte público interestadual: suspensos por sete dias, a partir do momento em que as empresas forem notificadas;
  • Academias e shoppings;
  • Entrada de novos hóspedes no setor hoteleiro;
  • Comércio em geral e restaurantes; com exceção dos serviços essenciais.
  • Na região, onde foi identificada a transmissão comunitária, além de todas as restrições acima, as indústrias deverão operar com a capacidade mínima necessária.

Leia mais: https://g1.globo.com/sc/santa-catarina/noticia/2020/03/18/coronavirus-veja-o-que-abre-e-o-que-fecha-em-sc-apos-decreto-de-situacao-de-emergencia.ghtml

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *