Sem categoria

Coronavírus: fronteira quase parada por medidas preventivas

Avenida JK, Foz do Iguaçu, nesta sexta-feira pela manhã.

Nesta sexta-feira (20), entre 8h00 e 10h00 o movimento nas ruas de Foz do Iguaçu surpreendeu. Poucos carros circulavam pelas ruas da cidade e os ônibus transitavam quase quase vazios. Lojas fechadas, pouca gente nas ruas. Um cenário bem diferente do normal.

Avenida Brasil, hoje pela manhã.
Avenida Paraná, Foz do Iguaçu
Avenida Jorge Schimmelpfeng, Foz do Iguaçu
Avenida República Argentina, Foz do Iguaçu

No Brasil, algumas empresas que tem autorização para abrir, como as farmácias, adotaram medidas para impedir a aproximação dos clientes. Nesta farmácia, foi colocada uma fita de isolamento para que consumidor e funcionário mantenham distância.

Farmácias usam fitas de isolamento para manter distância entre clientes e trabalhadores

Argentina

A “paradeira” não ocorre só aqui. Argentinos e paraguaios também registraram a situação “do lado de lá” da fronteira. Decretos do governo suspenderam as atividades em várias empresas e no comércio e os cidadãos estão sendo orientados a ficarem nas próprias casas.

Aduana Argentina (Foto: LaVozDeCataratas/Gentileza)

Na aduana da Argentina, o controle da temperatura nas pessoas começou a ser feito, após a doação de 22 termômetros, na quinta-feira à tarde, conforme informou o LaVozDeCataratas.

Centro de Porto Iguaçu, na Argentina (Foto: LaVozDeCataratas/Gentileza)

Já na cidade de Porto Iguaçu, o movimento estava bem abaixo do normal.

Paraguai

Em Porto Índio, no Paraguai, por onde se atravessa o Lago de Itaipu de balsa até o Porto Internacional de Santa Helena, no Brasil, também estão sendo feitos controles na temperatura dos caminhoneiros que usam a fronteira transportando mercadorias. Quem chega e quem sai, passa pelo controle.

Porto Índio, Paraguai (Foto: Gentileza)

De acordo com um dos funcionários do Porto, o movimento caiu cerca de 95%, após as restrições nas fronteiras tanto do Paraguai quanto do Brasil.

Porto Índio, no Paraguai (Foto/Gentileza)

Motoristas informaram que muitas empresas já suspenderam o carregamento de cargas no Paraguai.

Em Cidade do Leste, também há pouca movimentação nas ruas. A maior parte dos paraguaios aderiu ao “QuedaTeEmCasa”, determinação do Governo que orienta as pessoas a não saírem das próprias casas, a menos que seja necessário.

Aduanas brasileiras

As pontes que ligam o Brasil à Argentina e ao Paraguai estão vazias. Apenas caminhões de carga passam pela fronteira.

Ponte da Amizade, aduana brasileira (Foto: PRF)

Cris Loose

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *