Sem categoria

Pequeno empresário fecha restaurantes e reinventa negócio na quarentena

(Foto: Sebrae/Divulgação)

Vendas de sopas congeladas estão mantendo a empresa em atividade, em Itapejara d’Oeste, no sudoeste do Estado.

A quarentena ocasionada pela pandemia do Coronavírus forçou o fechamento de setores considerados não essenciais. Os restaurantes, por exemplo, foram bastante impactados. Em Itapejara d’Oeste, na região Sudoeste, o empresário Guilherme Biesek teve que mudar os rumos do negócio para manter o empreendimento funcionando.

Proprietário de dois restaurantes, ele já havia fechado um deles em dezembro de 2019. Com a Covid-19, foi forçado a fechar o segundo. Inquieto e preocupado, ele procurou formas de amenizar a crise e encontrou uma saída com a comercialização de sopas congeladas.

“Após o decreto de fechamento, fiquei sem chão. A primeira semana com o restaurante fechado foi difícil”, lembra Biesek. O empresário, então, passou a analisar outras alternativas para ter fluxo de caixa e voltou a pensar em um projeto de 2019, de sopas congeladas.

O projeto foi retomado no dia 26 de março e, quatro dias depois, começou a produção de três tipos de sopa: agnolini, aipim com bacon e cabotiá com provolone.

“Em quatro semanas, vendemos 800 potes de sopa na região. A procura foi grande em outras localidades e já temos revendas em quatro municípios vizinhos. O importante foi que continuamos trabalhando e não houve demissões.”

Novos produtos
Além de enfrentar a turbulência causada pela Covid-19, Biesek já prepara uma linha de congelados com pratos italianos e mantém contado com as consultorias do Sebrae/PR para planejar a produção.

“Já fui procurado por uma rede de supermercados. O trabalho com o Sebrae está sendo muito positivo, abrindo os horizontes com ideias. Agora, queremos um mercado maior”, diz.

Com informações da Assessoria de Comunicação do Sebrae PR

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *