Sem categoria

Aos 46 anos, Itaipu reconfigura o desenvolvimento do oeste do estado

Usina de Itaipu. (Foto: Alexandre Marchetti/Itaipu Binacional)

Importante no passado, a binacional é hoje imprescindível. Com investimentos em obras de infraestrutura, a usina e parceiros prepararam a região para uma nova etapa.

Criada por decisão político-diplomática, em 17 de maio de 1974, a usina de Itaipu uniu brasileiros e paraguaios num único propósito: gerar energia elétrica para impulsionar o crescimento dos dois países. A construção da hidrelétrica, ao mesmo tempo em que resolveu antigos litígios de terras, possibilitou um novo ciclo de desenvolvimento para a região de fronteira. Hoje, 46 anos depois, a usina devolve para a população do seu entorno, infraestrutura para um novo salto de desenvolvimento.

Só depois de dez anos – com a usina já construída e as primeiras unidades geradoras instaladas – a Itaipu começou a fornecer energia. Em 5 de maio de 1984 entrava em operação a primeiras unidade geradora (atualmente, são 20 no total) daquela que seria então a maior produtora de energia elétrica do mundo. Hoje, aos 36 anos de operação, a usina de Itaipu, mais do que cumprir sua atividade-fim de garantir energia limpa e renovável para o desenvolvimento do Brasil e do Paraguai, assume um papel imprescindível na transformação de Foz do Iguaçu e da região.

A usina investiu quase R$ 1 bilhão em obras estruturantes para preparar a cidade para os desafios que virão. Recursos economizados graças a uma reestruturação administrativa iniciada na posse de Silva e Luna, em fevereiro de 2019.

Obras da Ponte da Integração. (Foto: Rubens Fraulini/Itaipu binacional)

A cidade vem sendo dotada de nova infraestrutura, com a construção de mais uma ponte entre Brasil e Paraguai, melhorias no aeroporto para torná-lo capaz de receber voos de grande porte, construção do Mercado Municipal, modernização e ampliação do hospital criado e mantido pela empresa, que atende pelo SUS e a duplicação da BR-469, rodovia estratégica para a mobilidade rodoviária da cidade, entre outras.

Duplicação da pista do Aeroporto INternacional. (Foto: Sara Cheida/Itaipu Binacional)

Agora a usina entra numa nova onda de investimentos. Ancorado pelo Parque Tecnológico Itaipu (PTI), o Programa Acelera Foz, com sete eixos e oito parceiros, pretende criar todas as condições para atrair novos investimentos à cidade.

Para isso, a Itaipu e PTI estão dotando Foz de tecnologia, inovação, inteligência artificial e melhoria no turismo. “É a união de várias frentes para colocar Foz num novo ritmo. É Itaipu pisando fundo no acelerador, celebrando mais um aniversário e cuidando cada vez mais da nossa gente”, afirma o general Silva e Luna.

Com informações da Itaipu Binacional

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *