Sem categoria

Elevador da Itaipu reforça atendimento a casos graves de Covid-19 no HMCC

(Foto: Rubens Fraulini/Itaipu Binacional)

A plataforma elevatória permite que pacientes suspeitos da doença sejam levados diretamente para a ala especial de Covid-19, sem passar por dentro do hospital.

A Itaipu Binacional instalou, no Hospital Ministro Costa Cavalcanti (HMCC), em Foz do Iguaçu, uma plataforma de elevação para atender pacientes graves com sintomas de contaminação pelo novo coronavírus.

O elevador vai possibilitar que esses pacientes entrem diretamente na ala criada para atendimento exclusivo de Covid-19, que fica no segundo andar, sem passar por outras áreas dentro do hospital (ainda que elas estejam preparadas para esse trânsito).

O equipamento deverá ser usado apenas quando o paciente chega de maca e intubado. “Antes, como alternativa, era necessário acessar a ala exclusiva de Covid-19 por uma escadaria, com uma dificuldade muito grande, o que significava também um risco para os enfermeiros e médicos”, explicou Josias Aguera da Costa, da Divisão de Montagem Eletromecânica (SOCM.DT) da Itaipu.

O novo elevador foi desenvolvido em menos de 20 dias. Para atender a essa demanda em tão pouco tempo, os técnicos da Itaipu adaptaram uma estrutura já disponível, o elevador E29, que fazia a transição entre as cotas 98 e 78 da usina (as cotas indicam a elevação em relação ao nível do mar).

(Foto: Rubens Fraulini/Itaipu Binacional)

Esse elevador ficava em cima de uma laje de concreto. Então, foi necessário criar uma estrutura de apoio. A base foi construída pela equipe de Engenharia de Manutenção do HMCC. “Lembrei-me dos deslocamentos entre grandes alturas de Itaipu e pensei que poderia nos ajudar. Uma ideia simples que me ocorreu e que agora vira realidade e contribuirá para salvar vidas”, afirmou Alexandra Michelon, gerente do Departamento Administrativo do HMCC, responsável pela gestão da obra realizada no hospital.

Além da nova base para a estrutura, os técnicos da Itaipu tiveram de aumentar as dimensões da plataforma para comportar uma maca, médico e enfermeiro.

A instalação no hospital foi outra parte importante da operação, principalmente pela logística, que envolveu a utilização de um guindaste (também da Itaipu) para levantar os mais de 1.500 kg da estrutura.

Com informações da Assessoria de Comunicação da Itaipu Binacional

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *