Sem categoria

Defender o meio ambiente é responsabilidade de todos

(Foto: Polícia Ambiental)

No Dia Mundial do Meio Ambiente, a Polícia Ambiental e o ICMBio divulgam um balanço das operações no Parque Nacional do Iguaçu; Força Verde também apresenta resultados das apreensões no Lago de Itaipu.

Proibida no país desde a década de 60, a caça ilegal continua reduzindo a população de várias espécies de animais e elevando o risco de desequilíbrio ambiental. Apesar da legislação, a prática indiscriminada também colocam em risco todo o bioma da Mata Atlântica.

Para tentar combater esse tipo de crime ambiental, desde o início desse ano, o ICMBio em conjunto com a Polícia Militar Ambiental do Paraná, já deflagrou 6 operações de fiscalização no Parque Nacional do Iguaçu, além de contar com equipes diariamente em patrulhamento pela área da Unidade.

(Foto: Polícia Ambiental)

Com o principal objetivo de proteger a biodiversidade, foram destruídas aproximadamente 65 estruturas próprias para a caça dentro da Unidade. Nas fiscalizações foram encontradas 22 cevas (feitas com milho ou frutas para atração e abate de animais silvestres), 10 saleiros (local preparado com sal para atrair os animais) e 33 jiraus (uma espécie de palanque armado na mata, onde os caçadores aguardam as presas).

De janeiro até o mês de maio deste ano, já foram localizados e destruídos 8 acampamentos de caça dentro do Parque Nacional do Iguaçu, sendo que 9 pessoas foram presas. Foram apreendidas 6 armas de fogo e munição de diversos calibres.

Os infratores, quando presos em flagrante, são encaminhados para a Delegacia da Polícia Federal. Além das multas e medidas cautelares, os caçadores respondem ainda na esfera civil e criminal.

Pesca predatória
Desde setembro de 1999, a Polícia Ambiental do Paraná atua na defesa e preservação da fauna, flora e demais recursos naturais na área de abrangência da Itaipu Binacional.

(Foto: Polícia Ambiental)

Somente este ano a Polícia Ambiental do Paraná apreendeu, no Lago de Itaipu, 1.540 metros de espinhel, 6.252 metros de rede de pesca, 3 tarrafas, 185 unidades de varas de pesca e 242 unidades de outros petrechos usados pelos pescadores.

Consumo consciente

Hoje (5), Dia Mundial do Meio Ambiente, o Batalhão de Polícia Ambiental faz um alerta aos consumidores que podem e devem auxiliar na manutenção de um meio ambiente equilibrado, afinal, saber de onde vem o alimento que se consome, significa não apenas ter segurança, mas, também, ter a consciência limpa.

Portanto, conheça a origem dos peixes consumidos, não compre espécies ameaçadas de extinção e denuncie no 181, pescadores, caçadores ou produtos irregulares.

Com informações do Batalhão de Polícia Ambiental

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *