Sem categoria

Na Semana do Meio Ambiente, Paraná inicia o programa “Voo Livre”

(Foto: AEN)

Iniciativa cadastra pessoas físicas ou jurídicas que queiram receber, reabilitar e monitorar espécimes silvestres provenientes de apreensões e que estejam aptos a retornarem à natureza.

Na Semana Nacional do Meio Ambiente, o Governo do Paraná lança o Programa Voo Livre, de preservação da fauna silvestre. A ação é do Instituto Água e Terra, vinculado à Secretaria do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo.

Os proprietários de imóveis interessados em colaborar com a preservação da fauna silvestre vitimada já podem se cadastrar para as Áreas de Reabilitação de Animais Silvestres (ARAS) e Áreas de Soltura de Animais Silvestres (ASAS) apreendidos no Estado do Paraná.

O chamamento destina-se a pessoas físicas ou jurídicas, que detenham a titularidade de imóveis localizados na zona urbana ou rural e tenham interesse em receber, reabilitar, tratar, soltar e monitorar espécimes da fauna silvestre nativa, provenientes de apreensões ou resgates realizados pelos órgãos ambientais e que estejam aptos a retornar à natureza.

O programa vai permitir que o Instituto exerça maior controle sobre as espécies devolvidas aos seus habitats naturais e fazer o monitoramento das ações realizadas. A partir do cadastramento dessas áreas, biólogos e pesquisadores parceiros e do IAT poderão monitorar os aspectos relacionados com as espécies e o ambiente.

Incentivos – Os proprietários irão receber o selo Amigo da Fauna e o órgão estadual estuda as formas de inserir projetos específicos no programa de conversão de multas, por meio de futuros editais, de forma a apoiar a manutenção destas áreas.

Cadastros – Os interessados poderão fazer o cadastro para áreas de reabilitação (ARAS) e de soltura (ASAS). Deverão adequar-se à Resolução Conjunta Sedest/IAP nº 10/2019, que permite o cadastro dessas áreas, dispondo sobre conceitos, documentação necessária e instrução para a criação das mesmas.

Para habilitação da propriedade será analisada a estrutura e funcionalidade do mosaico paisagístico onde a propriedade está inserida. Além disso, aspectos bio-ecológicos e sanitários dos animais também são critérios de avaliação.

Os interessados no cadastramento deverão adequar-se à Resolução Conjunta Sedest/IAP nº 10 de 15 de julho de 2019, que criou o cadastro destas áreas, dispondo sobre conceitos, documentação necessária e instrução para a criação das mesmas.

Leia mais: http://www.aen.pr.gov.br/modules/noticias/article.php?storyid=107333&tit=Na-Semana-do-Meio-Ambiente-Parana-inicia-o-programa-Voo-Livre

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *