Sem categoria

Está aberta a temporada dos filhotes fofos no Parque Nacional

Três novos filhotões de onças-pintadas foram registrados em imagens incríveis no Parque Nacional do Iguaçu.

Em dezembro de 2019 o Projeto Onças do Iguaçu registrou pela primeira vez a Cacira, uma fêmea que aparentava ter parido recentemente, ainda com a pele do abdômen bem flácida. Na época não foram feitos registros dos filhotes.

Cacira passeando pela mata. (Fotos: Projeto Onças do Iguaçu)

Agora em julho finalmente os dois filhotes dela foram fotografados e filmados, enquanto “inspecionavam” a armadilha fotográfica do projeto.

Os irmãos bem tranquilos.

Considerando a data em que ela foi filmada recém parida, os filhotões têm cerca de 7 meses de idade, mas pelas imagens obtidas ainda não é possível saber o sexo deles.

O filhote da Índia – Os pesquisadores informaram que em outubro de 2019 identificaram uma nova fêmea, a Índia, que aparentemente estava prenha, mas não conseguiram obter registros posteriores de filhotes.

Esta é a Índia.

Só que agora foram feitos registros da Índia com um filhotão, um macho, já com cerca de 8 ou 9 meses de idade. As onças-pintadas podem ter de 1 a 4 filhotes, sendo mais comum 1 ou 2.

O flagrante.

Filhotes de onças geralmente podem ficar com a mãe até cerca de dois anos de idade. Depois disso se separam e vão buscar seu território.

Atiaia – O último registro de filhotes foi no Parque Nacional do Iguaçu foi feito em 2018, quando a fêmea Atiaia teve 3 filhotes (lindos, por sinal!).

Agora, com os novos registros, o pessoal do projeto iniciou uma votação para escolher o nome do filhote da Índia. As opções são: Cacique ou Mitacoré (que significa o filho esperado). Você pode votar no G1.

Monitoramento – A população de onças-pintadas na região é monitorada por meio de censos realizados simultaneamente no Brasil e na Argentina, de dois em dois anos. É uma parceria entre o Projeto Onças do Iguaçu e Proyecto Yaguareté.

O último censo realizado em 2018 indicou que existem atualmente 28 onças-pintadas no Parque Nacional do Iguaçu, um aumento de 27% em relação à estimativa de 2016.
Na região do Corredor Verde, no Brasil e Argentina, o número de onças-pintadas passou de 90 em 2016 para 105 em 2018. A capacidade de suporte estimada para a região é de 250 animais. Ou seja: o caminho ainda é longo.

Corredor Verde – O corredor é o maior núcleo remanescente das sub-populações de onças-pintadas na Mata Atlântica em nível mundial e os resultados das pesquisas indicam que é a única população de onças-pintadas da Mata Atlântica
que está comprovadamente crescendo.

O censo 2020 deveria ter começado em maio, mas foi adiado por causa da pandemia. Existe a possibilidade que ainda seja realizado no final do ano.

Conheça mais sobre o projeto, AQUI.

Com informações do Projeto Onças do Iguaçu

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *