Sem categoria

Juíza diz em sentença que réu negro era ‘seguramente integrante de grupo criminoso em razão da sua raça’

Homem foi condenado a 14 anos de prisão por organização criminosa e roubos no centro de Curitiba. Defesa afirmou que vai recorrer.

A juíza Inês Marchalek Zarpelon, da 1ª Vara Criminal de Curitiba, escreveu em uma sentença que um réu era “seguramente integrante de grupo criminoso em razão da sua raça”. Segundo a defesa do condenado, o réu é negro.

A decisão em primeira instância da magistrada condenou Natan Vieira da Paz, de 42 anos, a 14 anos e dois meses de prisão por organização criminosa e por roubos no centro da cidade.

A sentença foi publicada em junho, mas a defesa do condenado foi notificada da decisão na terça-feira (11). A advogada Thayse Pozzobon, denunciou por meio do Instagram, ainda ontem, a sentença contra o cliente. Veja abaixo.

No mesmo documento, a juíza escreveu que Natan é réu primário e que “nada se sabe” da sua “conduta social”.

Em nota, a juíza pediu “sinceras desculpas” e afirmou que a frase foi retirada de contexto.

O Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR) informou que tomou conhecimento do caso e que vai encaminhá-lo para apuração da Corregedoria. O TJ afirmou que a juíza deve ser chamada para prestar esclarecimentos neste procedimento.

A advogada Thayse Pozzobon, que defende Natan, afirmou que abriu uma representação na Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e que vai recorrer da decisão.

(Imagem: Reprodução/Instagram)

Leia mais: https://g1.globo.com/pr/parana/noticia/2020/08/12/juiza-diz-em-sentenca-que-reu-negro-era-seguramente-integrante-de-grupo-criminoso-em-razao-da-sua-raca.ghtml

Leia mais: https://revistaforum.com.br/brasil/advogada-expoe-decisao-judicial-de-cunho-racista-de-juiza-de-curitiba/

Um comentário
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *