Sem categoria

“O Tarzan das Cataratas”

(Foto: Analice Kohlenberger/Acervo Familiar)

Considerado um dos primeiros guias turísticos da nossa cidade, o “Sr. Franz Kohlenberger” é um dos meus pioneiros favoritos. Não só por ter criado o passeio do Macuco, ou fundado o Porto Canoas, ou ser um dos “pais” da Passarela das Cataratas do Iguaçu. Mas por ter vivido um intenso caso de amor com a natureza.

Na Áustria, aprendeu o ofício da hotelaria, onde trabalhou por muitos anos no respeitado “Hotel Wiesler“, e sonhava viver perto das montanhas e corredeiras da sua terra natal.

Mas, eram tempos difíceis, o auge da Segunda Guerra Mundial…

Chegou ao Brasil em 1946, e decidiu conhecer o novo point turístico que começava a bombar no oeste do Paraná, com um pacote de viagem típico da época:

Aéreo: pela via Aeroporto do Gresfi, com duas noites no Hotel Cassino (hoje o Senac) e o “transfer” de charrete até às Cataratas.

Ele ficou maravilhado com força e a beleza das quedas do rio Iguaçu, mas o seu maior “crush” foi com o exuberante Hotel das Cataratas.

Pensou: “É aqui que vou trabalhar!”

Com a ajuda da irmã (ele ainda não era fluente em português), escreveu uma carta para o Hotel, em fase final de construção, contando as suas experiências e qualificações profissionais.

E deu certo!

O Sr. Franz foi o primeiro funcionário do Hotel das Cataratas.

Como “barman”, agradava os hóspedes com o seu charme e ótimos drinques. Começou levar os turistas para passeios gratuitos de barco, pelo simples prazer de estar na natureza.

E também inventou um rolê de charrete, no qual passeou até com o Rei da Bélgica!

Ah… ele também criou uma técnica exclusiva de pescaria nas cachoeiras, além de ficar famoso pelas escaladas que lhe renderam o apelido de “O Tarzan das Cataratas”.

(Foto: Analice Kohlenberger/Acervo Familiar)

Dedicado e caprichoso (um virginiano típico!), o Sr. Franz chegou ao topo rapidamente.

Foi promovido a Gerente do Hotel das Cataratas e, com o apoio da esposa, a Sra. “Deise Kohlenberger”, fez uma gestão impecável.

Desenvolveram um novo método de limpeza dos quartos, modernizaram o tratamento de efluentes e aumentaram consideravelmente a satisfação dos funcionários do hotel, entre outras realizações.

Em 1977, resolveu abrir o seu próprio negócio em parceria com o amigo Sr. “Marcos Beato”. Tratava-se da lendária “Cabeça de Boi”, uma das melhores churrascarias do Brasil de todos os tempos!

Notem que assim são os pioneiros. Como a água que desce as Cataratas, abrindo o caminho em direção aos sonhos.

Sonhos que o Sr. Franz realizou brilhantemente.

Por Marcos Kidricki Iwamoto (Baseado no livro “O Homem das Cataratas” de Analice Kohlenberger e Ezidio Oro Jr.)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *