Brasil

Polícia Federal deflagra operação para desarticular financeiramente facção criminosa que atua em todo o território nacional

Ação é um desdobramento da Operação Caixa Forte, que investiga o tráfico de drogas e a lavagem de dinheiro praticados pela facção. (Foto: Polícia Federal)  

A Polícia Federal deflagrou, na manhã de hoje (31/08), juntamente com a Força Integrada de Combate ao Crime Organizado (FICCO), coordenada pela própria PF, a operação Caixa Forte 2 que investiga o tráfico de drogas e a lavagem de dinheiro praticados pela facção criminosa com atuação em todo o território nacional.

Os dados obtidos na primeira fase da Operação Caixa Forte, que identificou os responsáveis pelo chamado “Setor do Progresso” da facção, revelaram que os valores lucrados com o comércio ilícito de drogas eram, em parte, canalizados para inúmeras outras contas bancárias da facção, inclusive para as contas do “Setor da Ajuda”, responsável por recompensar membros da facção recolhidos em presídios.

Foram identificados 210 integrantes do alto escalão da facção, recolhidos em Presídios Federais, que recebiam valores mensais por terem ocupado cargos de relevo na organização criminosa ou executado missões determinadas pelos líderes.

Para garantir o recebimento do “auxílio”, os integrantes do grupo indicavam contas de terceiros não pertencentes à facção para que os valores, oriundos de atividades criminosas, ficassem ocultos e supostamente fora do alcance do sistema de justiça criminal.

Mandados – A ação de hoje envolve cerca de 1.100 policiais federais, que cumprem 623 ordens judiciais, sendo 422 Mandados de Prisão Preventiva e 211 Mandados de Busca e Apreensão, em 19 Estados da Federação e no Distrito Federal. Também foi feito o além do bloqueio judicial de aproximadamente R$ 250 milhões. Todos os mandados foram expedidos pela 2ª Vara de Tóxicos de Belo Horizonte/MG.

Paraná – No Paraná foram 72 mandados de busca e apreensão, em cidades como Assis Chateaubriand (1), Catanduvas (5), Curitiba (16), Foz do Iguaçu (3), Guaíra (1), Toledo (5) e Medianeira (2), entre outras. Também foram emitidos 101 mandados de prisão para serem cumpridos no estado, em cidades como Campo Largo (3), Curitiba (15), Londrina (14), Medianeira (2), e Piraquara (23), entre outras cidades.

Os presos são investigados pelos crimes de participação em organização criminosa, associação para o tráfico de drogas e lavagem de dinheiro, cujas penas cominadas podem chegar a 28 anos de prisão.

Com informações da Polícia Federal

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.