Paraguai

Neste domingo (13) expira o prazo para o EPP libertar os dois reféns

O prazo final é às 22 horas, horário imposto pelo grupo criminoso para que ocorra a “troca de prisioneiros”, que permitiria a libertação do ex-vice-presidente da República, Óscar Denis, e do funcionário dele, Adelio Mendoza, mantidos em cativeiro desde a última quarta-feira. Força Tarefa continua fazendo buscas na região (Foto: Agência IP)

Para isso, o grupo criminoso exige, entre outras coisas, que o Governo paraguaio que liberte os dirigentes da Epistem, Carmen Villalba e Alcides Oviedo, detidos no Buen Pastor e no Grupo Especializado, respectivamente.

O Governo Nacional ainda não revelou se vai atender ou não.  Por meio da conta do Twitter do Ministério do Interior, a informação oficial divulgada ontem é que a Força Tarefa continua a fazer buscas com base na estratégia militar. Informou também que o Presidente da República, Mário Abdo, acompanha o trabalho dos militares e está em comunicação permanente com os familiares das vítimas.

Prova de vida – Após quatro dias do desaparecimento do político e do funcionário dele, as famílias continuam clamando por uma prova de vida e por um canal de comunicação para negociar com os criminosos.

Distribuição de alimentos – O trabalho de preparação das sacolas de alimentos que devem ser entregues às quarenta comunidades escolhidas pelos sequestradores começou ontem. Foi uma das exigências impostas pelo EPP para a liberação dos dois

Várias cestas básicas começaram a ser preparadas ontem. Elas serão distribuídas para comunidades indígenas. (Foto: Reprodução/ Facebook)

Região norte pede paz – Ramona Benítez, líder da comunidade Ita Jeguaka, afirmou que cerca de 600 famílias estão dispostas a realizar a busca por conta própria.  Mas não são só os indígenas que estão indignados com a situação. Na cidade de Concepción e em muitas partes do país, a população expressou seu repúdio ao clima de terror que existe no norte do país. A cidade acordou ontem com bandeiras brancas e outras manifestações de descontentamento dos moradores pelos atos terroristas do EPP.

Ainda ontem (12), 48 associações e agremiações assinaram um documento repudiando o terrorismo no país.

Para hoje, está programada uma caravana, respeitando os protocolos estabelecidos pelo Ministério da Saúde, para pedir o retorno da paz no norte do país.

Com informações do Última Hora, Rádio Unión 800 AM e Agência IP

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *