BrasilCovid-19FronteiraParaguaiParaná

A abertura gradual da Ponte da Amizade é viável do ponto de vista epidemiológico, diz governo do Paraguai

Para o diretor de Vigilância Sanitária do Paraguai, o protocolo de abertura gradativa da Ponte da Amizade é viável ao se observar, nos dados epidemiológicos, que Ciudad del Este e Foz de Iguaçu “apresentam risco semelhante”. (Foto: Agência IP)

“Quando o risco é muito semelhante entre um lado e outro da fronteira, o fechamento não faz sentido. Mas quando o risco é maior de um lado da fronteira, na comparação, faz sentido fechar as fronteiras ”, disse o diretor de Vigilância Sanitária, Guillermo Sequera.

Salientou que neste momento é possível falar de uma “abertura escalonada”, por isso a Saúde desenvolveu um protocolo para um possível cordão sanitário e outras medidas de controlo, para evitar um transbordamento do número de infecções.

O poder executivo se reuniu sexta-feira (18) com o governador de Alto Paraná, prefeitos dos principais municípios da área de influência da fronteira com o Brasil. O objetivo foi firmar um protocolo para negociar com o Brasil a abertura gradativa e o reinício das atividades comerciais.

Embora alguns trabalhadores se oponham à medida e busquem a abertura total da Ponte da Amizade, outro encontro entre as autoridades está agendado para esta terça-feira, 22 de setembro. Sequera destacou, no entanto, que a situação de “risco semelhante” não se verifica entre outras cidades fronteiriças. Por esse motivo, ainda não é possível falar de um projeto semelhante nas outras passagens, explicou em entrevista ao programa La Lupa.

Mobilização – A reunião com os representantes dos trabalhadores, comerciantes e autoridades do Alto Paraná, realizada na sexta-feira (18) para definir o protocolo para a abertura da Ponte da Amizade, não teve grandes avanços. Por causa disso, está prevista para esta terça-feira (22), uma grande mobilização no fronteira, com a participação inclusive das autoridades locais. Os manifestantes pretendem parar Cidade do Leste e toda a zona primária, onde é feita a liberação de caminhões que transportam cargas entre os países.

“Aqui o povo já está com fome, não podemos esperar. Vamos aguardar a reunião da próxima terça-feira, da qual os principais governantes deverão participar e, se nada for definido, vamos parar tudo na fronteira, porque não aguentamos mais as imposições da capital”, explicou o prefeito de Ciudad del Este, Miguel Prieto Vallejos.

Delivery fronteiriço – A Chancelaria Nacional assinou na quarta-feira (16) o acordo com o Brasil para a instalação de “corredores logísticos”, ou seja, espaços físicos que permitam aos cidadãos de cada país retirarem as compras realizadas anteriormente pela internet. Esses centros abrigarão compras de até US$ 500,00 que serão feitas por meios remotos. Também será estabelecida uma agenda para sua retirada para evitar aglomerações. A previsão é de que os centros estejam operando até o final deste mês, mas a medida não agradou os comerciantes que acreditam que apenas a reabertura da Ponte da Amizade poderá ajudar a aquecer a economia da região. 

Com informações da Agência IP e do 5Dias 

Um comentário
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *