BrasilParaná

Visitantes do Parque das Aves podem alimentar periquitos no maior viveiro de aves do Brasil

O mix de sementes, criado para estas aves, pode ser adquirido dentro do viveiro, durante o passeio. (Foto: Divulgação)

Agora os visitantes do Parque das Aves, em Foz do Iguaçu, tem a oportunidade de alimentar periquitos dentro do Viveiro Cecropia. A experiência já está sendo realizada desde a reabertura do Parque, no dia 1 de setembro, e está sendo muito bem aceita pelos visitantes.

Podem participar pessoas de todas as idades. Crianças de até 4 anos precisam estar acompanhadas de pais ou responsáveis durante a experiência. A experiência custa R$ 10 (mediante compra do ingresso para o Parque das Aves) e o pagamento do valor da interação pode ser feito no cartão (crédito ou débito) ou no dinheiro, diretamente no Viveiro Cecropia. A interação acontece de terça a domingo, das 9h30 às 11h30 e das 13h às 17h30.

Como participarA experiência, que dura aproximadamente 15 minutos, consiste em segurar uma colher de madeira com um mix de sementes e aguardar alguns dos cerca de 300 periquitos que vivem no Viveiro Cecropia se aproximarem para interagir com o alimento.

Cuidados – Alguns detalhes muito importantes dizem respeito aos animais. Por exemplo, não é permitido tocar as aves, embora elas possam se aproximar. Além disso, é necessário tomar cuidado ao se mover durante a interação, pois as aves podem se interessar pelas sementes que caem no chão.

Depois que o mix de sementes acaba na colher, ou antes mesmo disso, caso tenha interesse, o visitante sinaliza para a educadora ambiental que estiver no local orientando a experiência, para que ela suspenda a interação, removendo a colher.

Para garantir a segurança dos visitantes, todas as colheres são higienizadas com álcool após o uso. Além disso, a distância física entre participantes é mantida com rigor, e o uso de máscara durante toda a atividade é obrigatória, inclusive para tirar fotos.

Aves resgatadas do tráfico e vítimas de maus tratosOs mais de 300 periquitos que vivem no Viveiro Cecropia vieram de diversos centros de resgate de todo o Brasil, além de muitos zoológicos. As aves recebidas de situações de apreensão chegam ao Parque, muitas vezes, em péssimas condições, mas hoje encontram no Parque das Aves uma nova oportunidade de ter um lar.

“Trabalhamos muito no planejando de toda a estrutura, desde a concepção do projeto até a chegada e adaptação dos grupos de animais provenientes de 16 instituições, de nove estados do Brasil”, comenta Paloma Bosso, diretora técnica e veterinária especialista em comportamento e bem-estar animal.

Com informações da Ascom do Parque das Aves

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *