BrasilCovid-19ParaguaiParaná

Chico Brasileiro está em Curitiba ajustando o plano de contingência para a reabertura da Ponte da Amizade

(Foto: Reprodução Redes Sociais)

Em um vídeo compartilhado nesta quarta-feira (14) pelo Facebook, o prefeito de Foz do Iguaçu, Chico Brasileiro, informou que está discutindo com o secretário Estadual da Saúde, Beto Preto, estratégias para o enfrentamento da situação no sistema de saúde diante da reabertura da fronteira do Brasil.

Chico disse ser favorável a reabertura da Ponte da Amizade, mas se preocupa a proteção e a assistência à saúde das pessoas, diante do impacto que a reabertura provocará no setor de saúde.

“A decisão do governo federal terá o total apoio desta Municipalidade, entretanto, reforçamos quanto à necessidade de apoio estrutural, logístico, financeiro e de recursos humanos, para dar suporte ao atendimento hospitalar e da rede municipal de saúde que deverá ser necessário a partir da abertura da fronteira”.

Beto Preto disse que já vem discutindo o tema com o Ministério da Saúde e informou que, possivelmente na tarde de hoje, será realizada uma nova reunião com secretários de todo o país e com o secretário Executivo do Ministério da Saúde. A reabertura da Ponte também será discutida no encontro desta quarta-feira (14). 

Sistema de saúde – “Com a abertura da Ponte da Amizade e com a conhecida fragilidade do sistema de saúde do país vizinho, imagina-se que os mais de 96 mil brasileiros que residem do outro lado da fronteira, além de uma população de quase um milhão de paraguaios de Ciudad Del Este e seu entorno, poderão buscar no Município de Foz do Iguaçu o socorro imediato contra a Covid-19”, alertou o prefeito.

“Foz do Iguaçu sozinha não conseguirá suportar financeiramente, tecnicamente e estruturalmente esta provável nova demanda. Diante do exposto, o Município concorda com reabertura da fronteira, mas ressalta a urgente necessidade de apoio do Governo Federal para estruturar a questão da assistência hospitalar no SUS local”, reiterou o Prefeito.

Na fronteira, várias instituições aguardam uma informação oficial do Governo Federal, sobre os protocolos que serão adotados do lado brasileiro da Ponte da Amizade.  

Com informações da AMN

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *