BrasilParaná

O garoto e o piano

Alisson tem apenas 14 anos e sonha em ter um piano para poder praticar em casa. O pai dá a maior força e você vai saber o porquê. 

Alisson Tezolin costuma tocar piano no café da livraria do Shopping JL, em Foz. Sempre que pode, o pai dele, José Carlos, o leva ao local. Além de treinar, o menino encanta quem passa por lá, com a música que toca.

No repertório, clássicos como Beethoven, Mozat, Frédéric Chopin e o compositor e pianista americano Scott Joplin, conhecido como o rei do “Ragtime”, um gênero musical originado nos Estados Unidos no final dos anos 1800.

Sim, é isso mesmo que o “garoto do piano” gosta de tocar.

Quem é Alisson – Alisson é filho do técnico em refrigeração, José Carlos Tezolin. O garoto mora só com o pai desde os 7 anos de idade e apenas no ano passado despertou para a música.

Conta o pai que, no começo de 2019, em uma visita à casa dos tios, em Curitiba, Alisson se encantou com o violão do primo. Ao voltar para casa (em Foz) pegou um violão que o pai tinha e começou a dar os primeiros acordes. José Carlos, lembrou de um teclado que estava guardado há anos e resolveu aprender junto com o filho.

Mas logo na primeira tentativa, Alisson olhou para o teclado e não quis mais saber de outro instrumento.

Em junho de 2019, começou a fazer aulas de música na Cia do Accordeon, que fica no mesmo bairro onde mora. Até hoje frequenta as aulas duas vezes por semana e com a ajuda do professor, apesar do teclado ser menor do que o de um piano, só aprende.

Como o teclado que tinha em casa também era pequeno, José Carlos conseguiu comprar, de um amigo, um teclado maior, com 88 teclas. As caixas de som foram adaptadas por ele e é assim que Alisson treina todos os dias, de ouvido, buscando não errar. O adolescente é perfeccionista.

Além da música, o garoto, que só tira notas boas e estuda na 8ª série do colégio Jorge Schimmelpfeng, em Foz do Iguaçu, gosta de matemática.

Música clássica – José Carlos conta que sempre foi de ouvir música em casa, mas era o sertanejo, o pop. Até que Alisson, nas pesquisas pela internet, conheceu a música clássica. E é pela internet que ele aprende, ouvindo. E toca, sem partitura.

O Piano – No fim do ano passado, durante um passeio a um shopping em Curitiba, Alisson viu um piano pronto para ser usado. Foi paixão à primeira vista.

“O som do piano é diferente, é mais limpo e mais amplo. É lindo de ouvir”, disse o garoto em entrevista concedida nesta quarta-feira (28), na companhia do pai, na casa deles.

Depois da primeira experiência, José Carlos, que trabalha com manutenção de aparelhos de condicionadores de ar e atende várias empresas da cidade, passou a levar o filho para tocar em hotéis de Foz do Iguaçu, além de uma livraria no shopping JL.  

“Se eu pudesse, tocaria nesses pianos todos os dias”, diz o garoto.

Tímido, Alisson se solta quando está no teclado. Fica tão focado que não sabe dizer o que as pessoas sentem ao ouvir ele tocando.

“Parece que ele não percebe as pessoas, de tão concentrado. Eu fico filmando ou vendo a reação de quem está perto e fico muito feliz porque parece que meu filho, com a música que ele interpreta ao piano, ilumina a tudo e a todos”, diz José Carlos.

O sonho – Depois que Alisson pegou gosto pelo som do piano, ele e o pai começaram a arrecadar dinheiro para comprar um piano vertical usado. O custo pode chegar aos R$ 15 mil, valor que José Carlos, sozinho, não tem como bancar. O jeito foi criar uma vakinha virtual e uma rifa que está rodando a cidade.

O cantinho da sala, onde hoje está o teclado, aguarda o piano. E quem quiser, pode ajudar, apoiando a vakinha virtual, adquirindo a rifa ou ainda fazendo algum depósito na conta poupança do Alisson. José Carlos disse que quem fizer o depósito em dinheiro também vai concorrer a um condicionador de ar de 9 mil BTU’s, a cada R$ 10,00, que é o valor da rifa.

Depois de tocar pra nós e também para a vizinhança, que chega até a divisa do terreno para ouvir a música do garoto, Alisson disse que ficaria muito feliz com “o piano bem nesse canto, onde ele caberia certinho”!

Ouça Alisson tocando, AQUI.

O futuro – O pai diz que espera que Alisson não pare de tocar e sempre estude para aperfeiçoar cada vez mais o dom que possui. Já o menino, que segundo o pai, em janeiro desse ano recebeu um convite para estudar no Conservatório de Música e Belas Artes, em Curitiba, disse que quer “ser músico profissional e ter, na casa dele, um piano Essenfelder, de cauda”. 

Antes de realizar esse outro sonho, o Alisson está aprendendo a tocar mais músicas para, qualquer dia desses, surpreender as pessoas durante um café no shopping ou ainda, no saguão de algum hotel da cidade.

Quer ajudar? 

  • Para colaborar com a Vakinha Virtual, clique AQUI.

 

  • Conta poupança – Banco Sicredi, em nome de Alisson Felipe Tezolin.

CPF – 135.159.799-05

Banco – 748, Agência 710

Conta número – 85384-3 

Cris Loose

8 comentários
  1. Jose Carlos tezolin

    Cris você conheceu meu filho,menino determinado,focado no que ele quer ,parabéns pela sua matéria e fico feliz em ver tantas pessoas querendo ajudar meu filho,o menino merece todo esse apoio.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.