BrasilFronteiraParaná

Estudante de Foz do Iguaçu é a única brasileira a participar de concurso de fotografias do Greater Good Charities

Gabriela Nishiyama Alves tem apenas 17 anos. A jovem  que nasceu em Foz e, apesar das mudanças, fez questão de voltar a viver na fronteira, já sabe bem o que quer da vida. (Fotos: Arquivo Pessoal)

Gabriela cursa o ensino médio aqui na cidade e faz trabalho voluntário pela Ordem Internacional do Arco-íris para meninas (* veja mais informações abaixo).

Gabi conheceu o concurso de fotografias por meio de amigos que, assim como ela, pretendem estudar fora do Brasil. O objetivo deles é a Universidade Yale, nos Estados Unidos. A Universidade Yale é a 3ª instituição de ensino superior mais antiga dos Estados Unidos e está entre as 10 melhores do mundo, segundo os principais rankings universitários.

De acordo com Gabriela, a Universidade tem um programa de intercâmbio para alunos do ensino médio do mundo inteiro. É o Yale Young Global Scholars, que tem como objetivo identificar líderes globais de várias partes do mundo e levá-los para a universidade.

Nesse grupo, os brasileiros que pretendem ingressar no programa se ajudam e trocam informações. E foi nele que Gabriela conheceu o concurso de fotografias.

Gabi disse que adorou a filosofia do Greater Good Charities porque oferece uma proposta de fortalecimento da educação para as meninas.

“O projeto Girls’Voices tem como princípio levar uma educação igualitária para meninas em vários países do mundo, combatendo o déficit de educação entre meninos e meninas”, disse. “Eu acho que educação de qualidade para todas as meninas é algo muito importante. Percebo a realidade brasileira e acredito que isso pode mudar e que meninos e meninas podem sim ter uma educação igualitária”, disse.

O concurso – Gabi sempre se orgulhou de ter as Cataratas do Iguaçu no quintal de casa. Ela faz questão de dizer que adora a fronteira e que voltou para fazer o ensino médio aqui porque nasceu em Foz.

Sobre o concurso, são duas categorias: foto e vídeo, envolvendo os temas, planeta, animais, pessoas ou projetos. Ela escolheu planeta.

“Como eu nasci e vivo numa cidade que tem uma das 7 maravilhas do mundo, que são as Cataratas do Iguaçu, que  encantam pessoas do mundo todo… resolvi tentar. Afinal, as Cataratas do Iguaçu são incomparáveis. A gente tem natureza, tem um patrimônio e eu tenho muito orgulho da nossa cidade”, contou, Gabriela.

A jovem também garantiu que mesmo que não ganhe, não tem problema pois “eu falei de Foz do Iguaçu e dos motivos que me levaram a escolher as Cataratas do Iguaçu. É pura paixão mesmo”, disse.

As fotos – Gabriela mandou quatro fotos que estão concorrendo em grupo. Vale a avaliação das quatro fotos a seguir:

 

Para votar, clique AQUI.

Jardim de Casa – Gabriela descreveu assim o cenário escolhido por ela:

“Jardim de Casa – Cataratas do Iguaçu.

As Cataratas do Iguaçu carregam diversos títulos. Porém, são muito mais do que o maior sistema de quedas do mundo. Estão localizadas na cidade onde eu nasci, vivo e amo: Foz do Iguaçu.

Eu espero que com essas fotos, você sinta uma conexão com as Cataratas da mesma maneira que eu sinto.

  1. O começo da trilha: entre árvores e passarela, as quedas d’água começam a aparecer enquanto um arco-íris te dá boas-vindas.
  2. Hell of a view: (Um termo em inglês que não tem uma tradução exata) ao caminhar pela passarela, você encontra uma vista panorâmica onde metade do fluxo da água do rio cai em um longo abismo, a Garganta do Diabo.
  3. O fim: enquanto o fim do tour se aproxima, você consegue ver a parte lateral das quedas.
  4. O efeito borboleta: Substantivo. Diante de Oxford Languages (na teoria do caos) um fenômeno onde em que uma mudança minuciosa em um sistema complexo pode ter grandes efeitos em outro lugar. Uma metáfora para mostrar a importância de preservar a natureza enquanto podemos, antes que mudanças dramáticas ocorram em nosso ecossistema. O futuro começa agora!”

* A Ordem Arco-Íris – A Ordem Internacional do Arco-Íris para Meninas surgiu em 1922, após a segunda-guerra mundial. Como muitos pais e irmãos que saíram para lutar não voltaram, a Ordem foi criada para orientar e amparar as filhas e irmãs.

Foi o maçom William Mark Sexsom que sugeriu a criação de Ordem, similar à Ordem DeMolay, para as meninas. A ordem Internacional do Arco-Íris para Meninas é uma Ordem Paramaçônica dedicada à edificação do caráter das adolescentes com idade entre 11 e 21 anos, com ou sem parentesco maçônico. Podem fazer parte meninas filhas de maçons ou não, necessitando apenas serem indicadas por um maçom ou de uma Menina Arco-Íris.

Cris Loose

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *