Paraná

Plataforma de alerta climático é a ideia que Paraná levará a desafio mundial

Equipe que desenvolveu a plataforma venceu a edição estadual do Climathon, um desafio com propostas que impactam a vida das pessoas na cidade e no campo. (Foto: AEN)

A criação de uma plataforma de alertas climáticos, baseada em equipamentos meteorológicos de baixo custo para monitorar chuva, umidade e emissão de gases de efeito estufa na cidade e no campo, é a ideia que vai representar o Paraná em um desafio global no mês que vem. 

A proposta foi a vencedora do hackaton climático (Climathon) deste ano promovido pela Impact Hub Curitiba. Esta foi a primeira vez que o Governo do Estado, por meio da Secretaria do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo, atuou como parceiro do projeto, com o Desafio Paraná. Os participantes tiveram que apresentar soluções para prevenção e alerta de eventos climáticos extremos para a população da cidade e do campo.  

Políticas públicas para amenizar os impactos provocados pelas mudanças climáticas no Paraná já são discutidas pela Secretaria do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo. A diretora-geral, Fabiana Campos, destaca que todo o planejamento estratégico é pautado também pelos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS).  

“O ODS 13, que trata especificamente das mudanças climáticas, teve a atenção voltada diretamente para as políticas ambientais e o Simepar”, explica. “O plano estadual de mudanças climáticas, parado desde 2015, foi retomado no ano passado e reformulado, o que nos levou à criação do Paranaclima”, completa. 

O desafio – O Climathon é um evento que ocorre no mundo todo, relacionado a inovação, empreendedorismo e mudanças climáticas, e promovido em diversas cidades. O objetivo é que jovens empreendedores desenvolvam alternativas sustentáveis que impactem a vida das pessoas. Na etapa estadual cinco equipes foram finalistas.

A equipe Monitora Tupã, vencedora do desafio estadual, vai representar o Paraná na competição global, em janeiro, junto com outras cerca de 100 equipes. 

Com informações da AEN

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *