Covid-19Paraná

Operação policial conjunta resulta em prisões, apreensão de drogas e armas

Mais de 500 pessoas foram detidas. Sete toneladas de maconha e 68 armas foram apreendidas nas duas etapas da Operação Sinergia. (Foto: AEN)

A união das polícias estadual e federal na Operação Sinergia, resultou em 505 pessoas presas e 68 armas de fogo apreendidas no Paraná. O balanço é dos quatro dias de atividades (26 e 27 de novembro e 03 e 04 de dezembro). No período ainda foram apreendidas 7 toneladas de drogas e 172 aves silvestres. 

Além do serviço de segurança pública, a operação foi desencadeada para orientar e fiscalizar o cumprimento das regras de prevenção à transmissão do novo coronavírus. Nos quatro dias de trabalho, cerca de 17,3 mil policiais de todas as forças e mais de 5,8 mil viaturas foram utilizados na operação.

Números – De acordo com o balanço da Polícia Militar, que coordenou os trabalhos, foram feitas mais de 100 mil abordagens a pessoas e 57.045 vistorias a veículos em todo o Estado. Nos quatro dias de ações, foram atendidas 1.650 ocorrências e lavrados 168 Termos Circunstanciados de Infração Penal. As equipes policiais deteram também 69 adolescentes.

Além disso, houve a apreensão de R$ 2.598,75 em dinheiro, 373 munições de variados calibres, 708.359 mil pacotes de cigarros, de 56 comprimidos de ecstasy e 95 pontos de LSD. Ao todo, as equipes policiais abordaram/vistoriaram 3.473 pontos comerciais, sendo que 52 acabaram notificados/autuados.

Participaram também da operação a Polícia Civil, o Departamento Penitenciário, as Guardas Municipais, a Polícia Federal, a Polícia Rodoviária Federal, a Receita Federal e a Receita Estadual.

Decreto – Patrulhamentos e abordagens da Polícia Militar foram intensificadas em todo o Paraná para fiscalizar o cumprimento do decreto estadual nº 6.284/2020, que estabelece novas medidas de combate ao coronavírus, incluindo restrição de horário para circulação de pessoas. A Corporação conta com apoio das outras forças de segurança nesta atividade.

Com informações da AEN 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *