BrasilFronteiraParaná

Comissão do MJ visita entidades ligadas à migração e ao combate ao tráfico de pessoas

Uma comissão formada por representantes do Ministério da Justiça esteve em Foz do Iguaçu visitando instituições ligadas ao atendimento aos migrantes e ao combate ao tráfico de pessoas. (Foto: Frank Cedeño/Divulgação)

Liderada pela Diretora do Departamento de Migrações (DEMIG) e delegada da Polícia Federal Lígia Lucindo, a equipe do MJ conheceu nesta terça-feira (8) o trabalho realizado pela Câmara Técnica de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas (CTETP/Foz) e pelo Instituto de Desenvolvimento Econômico e Social de Fronteiras (IDESF).

Formada por instituições públicas e privadas, a Câmara Técnica desenvolve ações educativas e preventivas, em especial para o público jovem e feminino, principal vítima do crime.

Tráfico de pessoas – Segundo a Organização das Nações Unidas (ONU), atualmente o tráfico de pessoas – no qual estão inseridas as explorações para fins sexuais e de trabalho – é a terceira modalidade criminosa em movimentação de recursos ao redor do Planeta, ficando atrás apenas do tráfico de drogas e armas. Estima-se que movimente aproximadamente US$ 40 mil anuais.

A comissão conheceu o trabalho realizado pela Câmara em ações como intervenções urbanas em pontos específicos e na Ponte Internacional da Amizade, onde são realizadas atividades de orientação, panfletagem e vistoria de documentos das crianças na travessia entre o Brasil e o Paraguai.

“Em períodos comuns, o trânsito de pedestres entre os dois países é de cerda de 20 mil pessoas diariamente, sem barreira alfandegária. É uma condição favorecedora para a exploração dos traficantes”, destacou a coordenadora da CTETP, Rosane Amadori.

A agenda da comissão do Ministério em Foz do Iguaçu também incluiu agendas na Casa do Migrante e Casa de passagem de Foz do Iguaçu, instituições de atendimento aos migrantes e refugiados, e instituições de segurança da tríplice fronteira.

O presidente do IDESF, Luciano Barros, apresentou os estudos realizados pelo Instituto, mapeando as cidades gêmeas do Brasil, com ênfase para as questões sociais e econômicas que estão na base dos movimentos migratórios. 

Com informações da Câmara Técnica de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *