Paraguai

Depois do Tereré, Paraguai quer que a “guarania” seja reconhecida como patrimônio da humanidade

Após o reconhecimento do tereré como Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade, o Governo do Paraguai pretende que a guarania também seja reconhecida pela Unesco. O tradicional gênero musical do Paraguai foi idealizado há 95 anos pelo compositor José Asunción Flores. (Foto: Agência IP) 

A afirmação foi feita pelo ministro da Secretaria Nacional da Cultura, Rubén Capdevila, que explicou que a candidatura da “guarania” (ou guarânia, como dizemos no Brasil) como Patrimônio Imaterial da Humanidade, está em andamento.

Ele disse que foram realizadas várias reuniões com técnicos da Unesco para avaliar a melhor forma de inscrever o gênero musical tradicional do Paraguai.

O criador – José Asunción Flores foi considerado o criador do gênero musical, após compor a canção Jejui, com a qual buscou mostrar o sentimento heróico do povo paraguaio. Posteriormente, Flores trabalhou em três canções conhecidas como Índia, Cerro Corá e Panambi Verá, juntamente com um dos maiores poetas paraguaios, Manuel Ortiz Guerrero.

Em 1932, o músico se alistou no Exército Paraguaio durante a Guerra do Chaco e lutou na linha de frente. Após a guerra, mudou-se para Buenos Aires. Enquanto isso, as canções dele se espalharam por todo o país.  

Diagnosticado com doença de Chagas, José Asunción Flores morreu em Buenos Aires, em 1972. Seus restos mortais foram repatriados em 1991 para o Paraguai, após a queda da ditadura.

Ao definir o nome do gênero musical, Flores teria se inspirado no poeta paraguaio Rolón (1892-1945). De acordo com a Real Academia Espanhola (RAE) o termo foi usado pelo poeta paraguaio Guillermo Molinas Rolón para designar a região habitada pelos antigos guaranis.

Com informações do Última Hora 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *