Paraná

Bala de banana de Antonina agora tem Indicação Geográfica

O trabalho para a obtenção foi articulado pelo Sebrae/PR e contou com as parcerias da Adetur e Associação dos Produtores de Bala de Banana Antonina e Morretes. (Foto: Divulgação)

Quem é do Paraná ou já visitou o litoral do estado, provavelmente, provou a famosa bala de banana de Antonina, típica da região. Agora, a fama, o sabor e a história do produto ganharam um novo patama. No dia 29 de dezembro de 2020, o Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI) concedeu o registro de Indicação Geográfica, na modalidade Indicação de Procedência.

A produção respeita tradições familiares e possui características únicas que asseguram seu diferencial. Hoje, o volume de produção alcança mais de 15 toneladas por mês.

Conforme o INPI, os documentos apresentados pela Associação dos Produtores de Bala de Banana de Antonina e Morretes (Aprobam) demonstram a importância da produção para a região, incluindo a promoção ao turismo. Antonina é reconhecida no Brasil também pelas balas de banana, produto típico que ajuda a valorizar a cultura da região e é considerado patrimônio cultural da cidade.

O processo para a obtenção do registro de IG começou a ser articulado pelo Sebrae/PR, em 2014, quando foi realizado um levantamento sobre potenciais produtos que poderia pleitear a IG. Entre os 35 indicados, 10 foram selecionados, sendo quatro deles no litoral do Estado, incluindo a bala de banana.

“Realizamos um levantamento com dados e informações sobre o produto e as empresas, incluindo mais de 800 citações na imprensa, além de relatos de diversos moradores sobre importância das balas para a cidade, aspectos econômicos, culturais e históricos”, diz a coordenadora. Porém, em 2018, uma nova Instrução Normativa, publicada pelo INPI, exigia que o órgão responsável pelo registro da documentação fosse diretamente ligado ao produto. Com isso, houve a necessidade de criar a Aprobam.

A obtenção do registro de Indicação Geográfica é uma proteção para os produtores e representa a valorização do produto. Antonina ganha mais visibilidade, como também as empresas, os fornecedores de matéria-prima e o turismo, disse a coordenadora. 

Organização da cadeia produtiva – Organizar a cadeia produtiva, identificar os pontos fortes e fracos e buscar todo o suporte necessário para o setor estão entre os planos da presidente da Aprobam, Maristela Mendes.

“A ideia é agregar novos associados e dar andamento nos trabalhos que foram paralisados com a pandemia da Covid-19”, diz. Segundo ela, foi elaborado o caderno de especificações, com o objetivo de manter a qualidade do produto, a padronização e suas características.

Produtos com IG no Paraná – Além da bala de banana, outros oito produtos possuem o registro de IG no Paraná. São eles o melado de Capanema, a goiaba de Carlópolis, o queijo de Witmarsum, a uva de Marialva, a erva-mate de São Mateus do sul, o mel do Oeste do Paraná, o mel de Ortigueira e o café do Norte Pioneiro.

Com informações do Sebrae 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *