Covid-19Foz do Iguaçu

Centro de Medicina Tropical completa quatro anos com destaque na agilidade dos resultados e se prepara para processo de ampliação

Administrado pelo Hospital Ministro Costa Cavalcanti, no local são analisadas amostras de doenças epidemiológicas. Em 2020, CMT também passou a analisar testes para COVID-19. (Foto: Rubens Fraulini/Itaipu Binacional)

Quando pensado, o Centro de Medicina Tropical (CMT) do Hospital Ministro Costa Cavalcanti (HMCC) possuía um único objetivo: dar agilidade a processos de análises laboratoriais epidemiológicas em Foz do Iguaçu e região trinacional.

Quatro anos depois de inaugurado, o CMT cumpre seu papel com destaque e relevância no campo da pesquisa, além de, atualmente, ser referência em outros tipos de análises, graças a uma metodologia própria, parcerias importantes e equipe qualificada. Em 2021, o local passará por uma ampliação na sua estrutura física.

De início, o Centro de Medicina era um local para análises epidemiológicas, principalmente, de doenças causadas pelos chamados arbovírus, causadores de doenças como a dengue, zika vírus, chikungunya e febre amarela.

“Nós tínhamos essa demanda na região trinacional e precisávamos resolver. Antes, as amostras precisavam ser enviadas para laboratórios distantes, que, por vezes, demoravam cerca de 30 dias para entregar os resultados”, comentou o responsável técnico do CMT, Robson Delai. “Por isso é tão importante essa nossa agilidade. É isso que buscamos desde o começo”, afirmou.

Mas atualmente, o laboratório é referência também na análise de outras amostras de vírus presentes em animais, alimentos e humanos, processos que já estão em execução e justificam a ampliação do CMT em 2021.

A nova estrutura de laboratórios e salas permitirá diagnósticos microbiológicos e físico-químicos, resultados que auxiliarão serviços como o do Ministério da Agricultura e Secretaria de Saúde do Paraná e dos municípios da área de influência da Itaipu Binacional, e de agricultores e produtores rurais.

Outro tipo de análises é em animais. Em parceria com clínicas veterinárias da cidade, o laboratório tem diagnosticado doenças como a leishmaniose, presente em animais, mas que também foi acometer humanos. “Toda essa nossa ampliação visa o atendimento da demanda da região Oeste do Paraná”, reforçou o responsável técnico.

O CMT ainda tem produzido diversos artigos científicos que contribuem na área de pesquisa e no HMCC. 

Covid-19Com a pandemia do novo coronavírus, o SARS-COV-2, decretada pela Organização Mundial de Saúde (OMS), o Centro de Medicina Tropical passou a ter um papel ainda mais importante para o HMCC e também toda a 9ª Regional de Saúde do Paraná.

Em março de 2020, o CMT foi o primeiro laboratório do interior do estado a ser autorizado pelo Laboratório Central (LACEN/PR) para realizar diagnósticos dos testes para COVID-19. Desde então, mais de 41 mil amostras já foram analisadas.

Com informações do HMCC

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *