BrasilCovid-19

Hospital de Maringá participa de estudo sobre remédio para Covid

O medicamento contém um anticorpo especificamente direcionado para o SARS-CoV-2, vírus que causa a Covid, melhorando a capacidade do sistema imunológico de combater a doença. (Foto: AEN)

Pesquisadores do Hospital Universitário Regional de Maringá (HUM) participam de um estudo internacional para avaliar a eficácia e segurança de um medicamento que combate a Covid-19 em pessoas com sintomas leves e moderados e também aqueles que integram o grupo de risco. O estudo é feito por meio do Núcleo de Pesquisas Clínicas.

Vinculado à Universidade Estadual de Maringá (UEM) o Hospital é a única unidade hospitalar do Paraná a participar desse estudo.

A coordenadora de estudos do Núcleo de Pesquisas Clínicas, Sandra Bin Silva, explica que, mesmo com a vacina, a Covid-19 ainda vai continuar existindo e por isso é necessário estudar medicamentos para tratar a doença ou evitar possíveis complicações.

O medicamento – O medicamento contém um anticorpo especificamente direcionado para o SARS-CoV-2, vírus que causa a Covid, melhorando a capacidade do sistema imunológico de combater a doença. A princípio, o remédio é chamado de VIR-7831, e como está em fase experimental não é comercializado para o tratamento da doença.

A pesquisadora também destaca o protagonismo nacional do Hospital Universitário no desenvolvimento de pesquisas clínicas.

“Faz 10 anos que o Núcleo de Pesquisas Clínicas desenvolve estudos que fortalecem o Sistema Único de Saúde (SUS) no atendimento da população brasileira. A UEM e o HU estão na vanguarda da pesquisa há bastante tempo e isso é fundamental para buscar soluções no momento que vivemos”, afirma.

O núcleo é referência em estudos clínicos e acadêmicos em áreas como endocrinologia, nefrologia e urgência e emergência. Desde o início da pandemia, os pesquisadores do hospital estudam alternativas de tratamento para a Covid-19. No total são sete estudos em andamento.

Voluntários – A participação dos voluntários é estimada em aproximadamente 24 semanas. Para ser elegível é preciso ter 18 anos ou mais e apresentar algum dos fatores de risco, como diabetes, obesidade, insuficiência cardíaca, doença pulmonar crônica, entre outros. Serão selecionados de oito a dez pacientes para testar a eficácia do medicamento.

Outro grupo será formado por pessoas com 55 anos ou mais, independente de outros fatores de risco, com resultado positivo para o novo coronavírus e um ou mais sintomas de Covid-19.

Para participar – Interessados em participar do estudo podem entrar em contato com o Núcleo de Pesquisa Clínica do HUM pelo telefone (44) 3011-9210, das 8h às 12h.

Com informações da AEN

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *