Paraguai

Fazendeira proíbe o idioma guarani dentro da propriedade, no Paraguai

O Ministério do Trabalho, Emprego e Segurança Social do Paraguai repudiou a atitude que considerou discriminatória. (Foto: Reprodução/Twitter)

A fazendeira Janine Neukamp Haverroth, uma grande produtora de soja na região de Curuguaity, no Paraguai, proibiu que os trabalhadores da fazenda falassem em guarani, idioma oficial do Paraguai.

Um áudio que acabou viralizando nas redes sociais na segunda-feira (1) revoltou os moradores da região que chegaram protestar na frente da casa dela.

No áudio que teria sido enviado aos trabalhadores da fazenda localizada em Luz Bella, no departamento de San Pedro, a produtora afirma que os funcionários usam o guarani para falar mal dos patrões e para falar dos equipamentos que quebram. Ela diz também que não conversa em alemão na frente dos trabalhadores porque isso “é feio”.

“Eu não falo guarani porque não me interessa. Creio que espanhol e português já está bom para mim. Então, a partir de hoje, está proibido guarani na estância. Vocês estão escutando? PROIBIDO! Vocês vão falar em português e em espanhol que é o idioma aqui do Paraguai”.

Ela também disse que está faltando respeito com os “patrões” e afirmou que quem fala apenas guarani deve arrumar um patrão que permita que se fale guarani.

“Se não funcionar é melhor passar no escritório e depois procurar um patrão paraguaio”, finalizou.

Ministério do Trabalho – No comunicado, o MTESS também afirmou que “o uso do nosso idioma guarani não pode ser utilizado como ferramenta para ameaçar, amedrontar ou discriminar”. 

“O MTESS vai intervir no suposto caso de discriminação para assegurar o respeito irrestrito dos direitos dos trabalhadores paraguaios de utilizar um dos nossos idiomas oficiais”, diz a nota. 

O áudio e as fotos da fazendeira repercutiram em todo o país e também no exterior.

Fronteira – O jornalista, escritor, estudioso e professor, Jackson Lima, que mora em Foz do Iguaçu, disse que a fazendeira teuto-brasileira cometeu um erro e que, embora já tenha se desculpado, a discriminação contra falantes de guarani ainda é grande.

“Essa língua para mim é muito importante e bela. O guarani é língua oficial no Paraguai e a terceira língua do Mercosul”, escreveu ele no Facebook.

Cris Loose, com informações da Rádio Concierto e do MTESS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *