Covid-19Foz do Iguaçu

Foz registra 59 novos casos de covid-19 e mais dois óbitos

Dos 125 leitos de UTI, 96 estão ocupados. Prefeitura está fazendo busca ativa para aplicar a segunda dose da vacina em Foz. (Imagem: PMFI)

A Vigilância Epidemiológica de Foz do Iguaçu confirmou nesta quarta-feira (28) mais 59 casos de covid-19. No total, são 33.608 casos da doença no município desde o início da pandemia. Destes, 32.465 pessoas já estão recuperadas.

Dos 59 novos casos, 38 são mulheres e 21 homens, com idades entre quatro e 83 anos. Entre eles, dois estão internados em 57 estão em isolamento domiciliar. Do total de casos ativos, 250 estão em isolamento domiciliar e 125 pessoas estão internadas.

Óbitos – Foz do Iguaçu registrou mais dois óbitos em consequência da covid-19. As vítimas foram um homem de 69 anos e uma mulher de 49 anos. No total, são 768 mortes pela doença no município desde o início da pandemia.

VacinaçãoA Secretaria de Saúde de Foz do Iguaçu começou nesta quarta-feira (28), a busca ativa das pessoas que não tomaram a segunda dose da vacina contra a covid-19. Segundo a Secretaria, ao todo são 488 vacinados com a segunda dose em atraso. A data da segunda dose está prescrita no cartão de vacina.

(Foto: Christian Rizzi/PMFI)

De acordo com um levantamento da Vigilância em Saúde, é possível que algumas pessoas não tenham comparecido ainda devido a algum impedimento momentâneo, internamento ou até mesmo por terem contraído a covid-19. 

O intervalo entre aplicações das doses da CoronaVac é de 25 dias após a primeira dose. A AstraZeneca tem indicação para 84 dias de intervalo. Com base no prazo estipulado, a Secretaria de Saúde identificou que há pessoas com até dois meses de atraso.

EficáciaDe acordo com especialistas, o imunizante só tem sua eficácia completa e garantida depois da aplicação das duas doses no período recomendado pelos fabricantes.

Diante disso, a Secretaria de Saúde organizou a busca ativa das quase 500 pessoas que não buscaram a segunda dose da vacina e as doses serão aplicadas nos postos de saúde.

Especialistas explicam que, em casos de vacinas com duas ou mais doses, uma primeira dose serve para apresentar o agente infeccioso ao sistema imunológico. Nesta fase a reação do organismo contra o vírus ainda é baixa. Com a segunda dose da vacina, a resposta do sistema imunológico é maior e desta forma se reduz as chances de agravamento da doença.

“Mesmo com atraso é importante completar a imunização, garantindo a eficácia completa da vacina e a reação contundente do nosso organismo contra o vírus SARS-CoV-2 e suas variantes”, reforça a chefe de Imunização do Município, Adriana Izuka.

Com informações da PMFI 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *