Covid-19Foz do Iguaçu

Segurança e tranquilidade marcam a volta dos alunos às escolas municipais em Foz

Atividades presenciais retornaram nesta segunda-feira (03) em cinco instituições, com alunos de primeiros e segundos anos do ensino fundamental. (Foto: Christian Rizzi/PMFI)

O retorno das aulas presenciais na rede municipal de ensino de Foz do Iguaçu, nesta segunda-feira (3), foi marcado pela organização e pela segurança nas escolas. Nesta primeira etapa, as atividades foram retomadas em cinco instituições de ensino (escolas Josinete Holler, Papa João Paulo I, Jardim Naipi, Osvaldo Cruz e Princesa Isabel) com turmas de primeiros e segundos anos do Ensino Fundamental, mantendo 30% da capacidade das salas.

Escola João Paulo I. (Foto: Elis Carneiro/Gentileza)

Os protocolos de segurança determinam o uso obrigatório da máscara, a aferição de temperatura na entrada da escola, a higienização com álcool em gel e lavagem frequente das mãos, além do distanciamento de um metro e meio entre os estudantes. Todos os funcionários das escolas receberam jalecos, máscaras no modelo N95 – consideradas padrão-ouro para proteção – e protetores faciais (faceshield).

A secretária de educação Maria Justina da Silva acompanhou o retorno dos alunos em algumas escolas e assegurou que todas as medidas de prevenção à Covid-19 estão sendo cumpridas.

“Além do exame (RT-PCR) que alunos e funcionários fizeram na sexta-feira (30), todos os protocolos estão sendo seguidos. As escolas estão sendo preparadas para este retorno desde o ano passado. As crianças estão contentes e muito cientes das medidas de prevenção e da necessidade de se cuidarem”, comentou.

O retorno presencial nas cinco escolas também está sendo acompanhado pelos técnicos em Segurança do Trabalho da Diretoria de Saúde Ocupacional da prefeitura.

Alegria – Na Escola Municipal Jardim Naipi, os alunos foram recebidos com muita alegria pela equipe pedagógica nesta segunda-feira pela manhã. Uma educadora se fantasiou de “Gato de Botas” e orientou as crianças sobre as medidas de segurança, como o uso do álcool em gel.

Paola Amaro de Faria, de apenas 7 anos, estava empolgada com o retorno, que para ela representa o “primeiro dia de aula”.

“Eu gosto de estudar em casa, mas estava com saudade dos meus amigos e das professoras. Fiz o meu exame e deu tudo certo. Queria muito voltar pra escola”, contou a aluna do segundo ano.

Jonathan Hiury da Silva também estava animado com o retorno.

“Eu sei que tenho que usar máscara, manter o distanciamento e não posso abraçar meus amigos, mas eu queria muito voltar pra escola e estou muito feliz”, disse o menino de 7 anos.

Na Escola Jardim Naipi, são somente nove alunos no período da manhã (2º ano) e seis alunos no período da tarde (1º ano). A diretora, Marinelma Fátima, afirmou que a escola está bem organizada e os alunos entusiasmados.

“Neste momento, trabalhamos com o acolhimento das crianças juntamente com o pedagógico. Elas estão muito tranquilas e nós muito felizes”.

Monitoramento – O retorno das atividades presenciais será monitorado por uma equipe técnica da Secretaria de Saúde e avaliado semanalmente pelas pastas (Saúde e Educação). Na última sexta-feira, foram realizados 256 exames do tipo RT-PCR em alunos e funcionários das cinco escolas municipais e, no na sexta-feira (7), mais 108 alunos farão os exames para iniciar as atividades na próxima segunda-feira (10). Os trabalhadores da educação realizarão o teste novamente em 15 dias.

A proposta é retomar as atividades de forma gradativa nas escolas. Ainda não há previsão de retorno para os CMEIs (Centro Municipal de Educação Infantil). O município tem hoje cerca de 26 mil alunos matriculados em 50 escolas e 41 CMEIs.

Sindicato – As diretoras do SINPREFI, Marli Maraschin de Queiroz e Viviane Jara Benitez estiveram na Escola Municipal Jardim Naipi perto das 7h da manhã. Elas conversaram com profissionais da educação escalados para atender os alunos neste projeto-piloto iniciado pela prefeitura e com os professores que deverão cumprir horário de trabalho presencialmente nas unidades escolares a partir de agora e não mais em trabalho remoto.

(Foto: Ascom/SINPREFI)
As dirigentes sindicais conferiram os Equipamentos de Proteção Individual (EPI´s) como máscaras e jalecos, além de verificarem o cumprimento do Protocolo Sanitário de Volta às Aulas Presenciais elaborado por profissionais de diversas áreas, incluindo representantes do sindicato.
Em paralelo, o SINPREFI acionou a assessoria jurídica para que tome medidas judiciais para impedir a volta às aulas presenciais neste momento. O sindicato defende que as aulas presenciais sejam retomadas apenas quando houver possibilidade de vacina para toda a população.

Com informações da PMFI e do SINPREFI

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *