Covid-19Foz do IguaçuParaná

Foz terá mais um final de semana com toque de recolher

A medida tem como objetivo reduzir o número de casos e, principalmente, de internações por covid-19. (Foto: PMFI)

A partir de amanhã (22) Foz do Iguaçu terá novamente a restrição da circulação de pessoas. A medida vale das 18h deste sábado até às 5h de segunda-feira (24). 

A medida tem como objetivo reduzir o número de casos e, principalmente, de internações por covid-19.

A preocupação se deve, principalmente, pela ocupação de 100% da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Municipal Padre Germano Lauck, referência no tratamento à doença. O hospital atende os nove municípios da 9ª Regional de Saúde, além de paraguaios e brasiguaios.

As restrições para conter o avanço da covid-19 têm sido adotadas em várias cidades do Paraná e, devido à preocupação com o aumento de casos e a limitação de atendimento do sistema de saúde, na segunda-feira (17), o Governo do Estado publicou decreto ampliando as medidas. Entre elas, toque de recolher das 22h às 5h e funcionamento somente de atividades essenciais no domingo.

Durante a semana – A Prefeitura de Foz do Iguaçu, no entanto, manteve o toque de recolher das 23h às 5h, com funcionamento das atividades até as 22h, por meio de decreto publicado na terça-feira (18). A intenção é minimizar os prejuízos econômicos às atividades comerciais, gastronômicas e de serviços.

Fiscalização – A fiscalização segue reforçada para garantir o cumprimento das medidas em vigor. As denúncias de irregularidades podem ser feitas pela população por meio do telefone 199 ou do aplicativo 156 Foz, informando data e local.

Ainda que os fiscais não cheguem a tempo de flagrar o descumprimento, essas informações possibilitam que a Secretaria Municipal de Fazenda puna os responsáveis.

Ocupação de leitos – Em entrevista, nesta quinta-feira (20), o diretor -presidente da Fundação Municipal de Saúde, Sérgio Fabriz,  falou sobre a ocupação dos leitos destinados ao tratamento da covid-19 na Unidade de Pronto Atendimento Dr. Walter Cavalcante Barbosa e no Hospital Municipal Padre Germano Lauck.

Segundo Fabriz, pela manhã quatro pacientes aguardavam na UPA a transferência ao Hospital Municipal. Já no pronto-socorro respiratório da unidade hospitalar, com suporte de leito avançado, 11 pacientes aguardavam transferência interna para a UTI, que há dias está com 100% de ocupação.

“Infelizmente já havíamos previsto esse aumento, muito em função ao fim de semana do Dia das Mães em que houve uma grande circulação de pessoas, e agora está sobrecarregando o sistema hospitalar e a UPA”, explicou Fabriz. Ele ressaltou a mudança no perfil dos pacientes, com um grande “acometimento de jovens com a doença, que estão ocupando os leitos das UTI”.

Medicamentos – O diretor também falou sobre a preocupação com os medicamentos necessários à intubação dos pacientes contaminados pelo vírus.

“É uma falta nacional e uma luta nossa semanal para a busca desses medicamentos. Nós fizemos as compras e as entregas estão sendo parciais, de acordo com o consumo”, lamentou Fabriz.

A colaboração da população é fundamental para garantir que a medida seja efetiva e que haja redução do número de casos da doença.

Com informações da PMFI e do HMPGL

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.