BrasilFoz do IguaçuFronteiraParaguai

Mais de R$ 10,2 milhões em mercadorias já foram retidos na Operação Escudo

A primeira fase ostensiva da Operação, que não tem prazo para acabar, completou duas semanas. (Fotos: Receita Federal)

Até este sábado (17), mercadorias diversas, avaliadas em mais de R$ 10,2 milhões, foram impedidas de entrar ilegalmente no Brasil.

Entre as retenções, foram encontrados muitos produtos escondidos em compartimentos e fundos falsos de veículos, ônibus, motos, em capacetes e até mesmo presos junto ao corpo do viajante, por baixo das vestimentas.

Uso de cota – O registro do uso de cota de isenção de bagagem teve um aumento expressivo nessas duas primeiras semanas. Saltou de 1.930 para 11.467 quando comparado à quinzena anterior, o que representa um aumento de mais de 594%.

Dessa forma, os chamados “laranjas” que fazem diversas viagens por dia trazendo mercadorias dentro da cota de isenção, ficam registrados e só poderão utilizar novamente o benefício fiscal depois de transcorridos 30 dias.

Retenções – Apenas na Ponte da Amizade, foram retidos mais de R$ 3,3 milhões em mercadorias estrangeiras em desacordo com a legislação.

No sábado (17) uma viajante trazia um CD Player para uso profissional em estúdio. O equipamento, originário da Grã-Bretanha, foi avaliado em mais de U$ 9,6 mil. A viajante, que admitiu ser contratada para trazer a mercadoria, apresentou uma fatura falsa de U$ 490.

Foi emitido um Documento de Arrecadação de Receitas Federais (DARF) com valor de mais de R$ 34,9 mil reais, o valor mais alto de todo o período da operação.

Além dessa, outra fiscalização resultou na retenção de uma mercadoria incomum: quatro mineradoras de criptomoedas (Bitcoins) foram encontradas com um casal de Caxias do Sul (RS) que viajava em um Jeep Renegade.

Eles disseram se tratar de computadores usados e que passaram por manutenção, mas caíram em contradição e acabaram admitindo que se tratava de mineradoras de criptomoedas usadas e que as levariam para o Rio Grande do Sul. O valor de cada uma ultrapassa R$ 12 mil.

As fiscalizações na PIA também impediram a entrada de mercadorias diversas além de drogas, medicamentos, cigarros e outros produtos prejudiciais à saúde.

Zona secundária – Já as equipes volantes, que estão fiscalizando a região urbana e estradas da região de Foz do Iguaçu e Cascavel, também apreenderam grande quantidade de mercadorias, 23 veículos, cinco ônibus, três caminhões e aproximadamente R$ 7,2 milhões de reais em produtos de origem estrangeira. A maioria, eletrônicos, celulares e notebooks.

Também foram apreendidas duas grandes cargas de vinhos estrangeiros, com cerca de três mil garrafas avaliadas em R$ 496 mil, além de mais de mil pneus encontrados em estabelecimentos comerciais sem comprovação de regular importação. Os pneus foram avaliados em aproximadamente R$ 150 mil.

Em uma das ações foi apreendido, em São Miguel do Iguaçu, um veículo com cerca de R$ 130 mil em celulares. Os aparelhos estavam escondidos em um fundo falso. 

Prorrogação – A Operação Escudo foi prorrogada por período indeterminado e com número de servidores variável de acordo com a conveniência e oportunidade. Nesta terça-feira (20), nova equipe de servidores vindos de diversas regiões do País continuará os trabalhos sob a supervisão das equipes de Foz do Iguaçu.

A Receita Federal disponibiliza telefones de contato para denúncias, de forma anônima, por meio dos números (45) 9 9152-2036 e (45) 9 9134-0100.

Com informações da Receita Federal 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *