BrasilCovid-19Foz do IguaçuFronteiraParanáTurismo

Recanto Cataratas investe R$ 60 milhões para a retomada do turismo em Foz do Iguaçu

Resort ampliou o Convention Center, finalizou uma nova ala com 224 apartamentos e instalou uma usina de energia solar. (Fotos: Divulgação)

Algumas empresas do setor do turismo, em Foz do Iguaçu, aproveitaram a pandemia para reformar e até mesmo para ampliar as próprias estruturas.

O resort Recanto Cataratas, por exemplo, construiu recentemente a Ala Collection, com 224 unidades de categoria premium, conectada por uma passarela às demais alas, a Prime e a Master. A direção do empreendimento também optou pelo uso da alternativa e uma usina de energia solar, com capacidade para alimentar todo o complexo, foi instalada no Resort. 

Além disso, o Convention Center Maestra, foi estruturado para receber tanto eventos físicos quantos virtuais. No total, o investimento somou mais de R$ 60 milhões.

“Criamos a Ala Collection para oferecer um produto moderno. É um investimento muito importante porque queremos entregar sempre uma experiência diferenciada aos hóspedes. Observamos que os hotéis que passam de 500 apartamentos, como é o nosso caso, com apenas uma recepção, não entregam uma experiência bacana no checkin, no checkout, no welcome drink ou em outras demandas. A nova ala tem recepção independente, restaurante, piscinas, jogos e fitness”, disse o diretor comercial, Edilson Andrade.

Andrade complementou informando que o complexo agora tem um “jardim gourmet” com quatro restaurantes, cinco bares, bistrô e praça de entretenimento, além das piscinas termais, tênis, futebol, trilhas e muito entretenimento. 

SustentabilidadeO complexo aproveitou o período de menor movimento causado pela pandemia para repensar ações sustentáveis e voltadas para o meio ambiente. O Resort instalou a maior usina fotovoltaica em ambientes urbanos da América do Sul.

A usina tem 1.888 placas fotovoltaicas e vai produzir 2,7 megawatts de energia, suficientes para alimentar o resort com mais de 500 apartamentos e todas as estruturas, e ainda repassar o excedente para a rede de energia da Copel.

“Como somos um Resort termal, temos protocolos e cuidados especiais por explorar o lençol freático do Aquífero Guarani e aprendemos muito com isso também. Temos quase 40% da área de 150 mil metros quadrados do complexo, protegida com mata nativa. Há mais de 10 anos, temos uma estação de reabastecimento para veículos elétricos, e somos pioneiros nesta questão de sustentabilidade”, destacou Edilson Andrade.

Eventos – O setor de eventos do complexo deve ser movimentado neste segundo semestre, já que vem recebendo pedidos para diversos eventos e alguns já foram confirmados.

“Agora que a cidade já se encontra disponível e praticamente livre para realizar eventos, é necessário que os organizadores se sintam seguros para desenvolver e colocar em andamento os projetos que tinham e que foram cancelados em 2020”, completou Andrade.

Com Assessoria 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *