BrasilParaná

Pesquisador da Unioeste ganha prêmio da Capes de tese de doutorado

O estudo, desenvolvido no doutorado de Adriano Renzi no Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Regional e Agronegócio (PGDRA), apresenta um novo indicador de desenvolvimento econômico para retratar a realidade. (Foto: Unioeste) 

O pesquisador da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste), Adriano Renzi, ganhou o prêmio Capes de tese de doutorado na categoria Planejamento Urbano e Regional/Demografia. A premiação, inédita para a instituição, é uma iniciativa da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), vinculada ao Ministério da Educação.

O estudo, desenvolvido no doutorado de Adriano no Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Regional e Agronegócio (PGDRA), apresenta um novo indicador de desenvolvimento econômico. O indicador é associado a aspectos da ruralidade e da governança municipal. São eles: o Índice de Desenvolvimento Econômico da Ruralidade (IDER) e o Índice de Desenvolvimento Econômico Local (IDEL).

Renzi explica que os índices tradicionais são importantes e ainda considerados para elaborar políticas públicas, no entanto, não captam algumas dimensões e aspectos relevantes e presentes na concepção de desenvolvimento econômico, tais como os aspectos relacionados à ruralidade e à governança, em parte, representadas nas dimensões ambientais, sociais e demográficas.

“O PIB, por exemplo, não diz se houve uma queda na desigualdade. Ele não diz se as pessoas estão em melhores condições de vida, é apenas uma estimativa. Os índices propostos na tese tendem a complementar os índices tradicionais”, destaca.

A tese também buscou identificar as variáveis presentes e representativas dessas dimensões que podem explicar as mudanças nas características dos municípios brasileiros.

Variáveis – Para chegar aos índices propostos, o pesquisador levantou um conjunto de 146 variáveis que poderiam ser relevantes para compor os indicadores. Após a realização das medições de teste, o autor chegou a um conjunto de 55 variáveis, que se mostraram presentes em 10 fatores.

“Cada um desses fatores engloba variáveis com características correlacionadas. Por exemplo, o fator capital é composto por variáveis representativas do quantitativo de tratores, colheitadeiras e outros implementos agrícolas. Outro fator corresponde à produção de soja, composto por variáveis relacionadas ao manejo do solo, aos resultados auferidos com a produção dessa cultura”, destaca.

Outro exemplo importante, acrescenta, é o fator relacionado à governança, composto por variáveis relacionadas à gestão e ao equilíbrio orçamentário dos municípios.

Para o orientador do trabalho, professor Carlos Piacenti a premiação coloca a Unioeste e o PGDRA no nível dos melhores programas de pós-graduação e das melhores universidades do país.

“Se observar a lista das universidades que foram premiadas, na grande totalidade são universidades federais, universidades de grande porte e, com isso, a Unioeste entra também nesse rol de uma universidades importantes, completa.

Premiação – Criado em 2005, o Prêmio Capes de Tese reconhece os melhores trabalhos de conclusão de doutorado defendidos em programas de pós-graduação brasileiros, de acordo com os critérios de originalidade do trabalho, relevância para o desenvolvimento científico, tecnológico, cultural, social e de inovação e o valor agregado pelo sistema educacional ao candidato.

Um dos objetivos da iniciativa é aumentar a visibilidade das ações positivas e indutoras da Capes na pós-graduação brasileira.

Com informações da AEN

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *