ArgentinaBrasilFoz do IguaçuFronteiraTurismo

Burocracia e demora para atravessar a fronteira desanimam moradores de Foz

Desde a abertura da fronteira com a Argentina, 23.847 pessoas cruzaram a Ponte Tancredo Neves. (Foto: Reprodução/LaVozdeCataratas)

Desde a abertura da fronteira em 27 de setembro deste ano, como teste-piloto, 23.847 pessoas cruzaram a fronteira. Até agora somente cidadãos argentinos que residem em Puerto Iguazú podem entrar em Foz de Iguaçu; e teoricamente, moradores de Foz podem ir para o outro lado da fronteira.

Mas, na hora da entrada começam as complicações. É necessário fazer o download de uma Declaração, disponível no site do Governo, o migraciones.gob.ar e anexar o resultado do exame RT-PCR negativo (com validade de até 72 horas), e o comprovante da vacinação que pode ser obtido no aplicativo Conecte Sus

Mas a maioria dos brasileiros chegam à aduana argentina sem a documentação exigida e reclamando do preço do exame que, aqui no Brasil chega a custar R$ 280 reais em um laboratório particular. Além disso, depois de apresentar a documentação na aduana, os visitantes ainda passam por um novo teste, que é gratuito para os moradores de Foz. 

Mas nem isso tem animado os vizinhos a irem para a Argentina. Tanto que o governador de Misiones, Dr. Oscar Herrera Ahuad, pediu ao governo Federal que elimine a exigência do exame de RT-PCR de origem para turistas que entram pela Tancredo Neves.

A província já eliminou o custo do teste de antígeno que os estrangeiros que entram em Iguazú devem realizar e instalou WiFi na aduana, para que as pessoas pudessem baixar a documentação e preencher a declaração, mas de acordo com alguns visitantes que fizeram o procedimento, a rede WiFi funciona apenas em um setor e tem conectividade muito baixa.

Requisitos – Para entrar na Argentina, é preciso:

  • ter completado o esquema de vacinação pelo menos 14 dias antes da admissão;
  • comprovar o teste de RT-PCT negativo realizado nas 72 horas anteriores à entrada;
  • fazer o teste de antígeno ao entrar no país; e
  • apresentar a Declaração Juramentada já preenchida. 

Para menores de idade, sem esquema de vacinação, valem as mesmas exigências com exceção do comprovante de imunização. As crianças devem realizar isolamento e novo exame entre o quinto e o sétimo dia, a partir da chegada na Argentina.

As pessoas vacinadas com esquema completo e que apresentarem resultados negativos nos testes ficarão isentas de quarentena, mas deverão ser submetidas a novo exame entre o quinto e o sétimo dia após a chegada ao país.

Cris Loose, com informações do LaVozdeCataratas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *