Paraná

Clínica de Fisioterapia da Unioeste ajuda pacientes com nova rotina pós-covid

Os pacientes que o CRF/Clínica de Fisioterapia da Unioeste recebe são encaminhados pelos hospitais e unidades de saúde de Cascavel (PR). (Foto: Unioeste/Divulgação)

Há quase dois anos no Brasil, o coronavírus já contaminou mais de 22,2 milhões de brasileiros e nem todos tiveram uma recuperação completa para voltar a realizar as atividades cotidianas, desde as mais simples, como limpar a casa, até as mais complexas, como praticar exercícios físicos.

Ainda na segunda metade de 2020, o Centro de Reabilitação Física (CRF)/Clínica de Fisioterapia da Unioeste começou a atender pessoas que apresentavam a Covid-19, servindo de amparo a essas pessoas.

“Os pacientes começaram a ser encaminhados para o tratamento multidisciplinar devido sintomas respiratórios, osteomusculares, neurológicos e cardiovasculares. Aqui na Clínica Escola de Fisioterapia, também funciona um Centro de Reabilitação Física em que atuam outros profissionais da saúde, além dos profissionais fisioterapeutas”, destaca a professora Keila Okuda Tavares, que realiza atendimentos de fisioterapia respiratória e supervisiona discentes do curso de Fisioterapia nas atividades de ensino da disciplina de Fisioterapia Pneumofuncional.

Segundo o diretor do Ambulatório de Fisioterapia, Rodrigo Genske, mesmo que os pacientes tenham se recuperado da fase aguda da doença, muitos precisam ser submetidos ao tratamento devido algumas sequelas e complicações.

“Muitos pacientes tiveram 40%, 50% e até 70% do pulmão comprometido, isso significa uma dificuldade importante na parte respiratória, cardíaca e mesmo que ele tenha se recuperado do Covid-19, ele passou pela doença, mas não se recuperou totalmente dessas complicações”, explica.

O programa de reabilitação pulmonar é composto de exercícios que melhoram a força e a resistência tanto dos músculos respiratórios, como os músculos de extremidades, membro superior, inferior e de tronco.

“A gente tem que preparar o indivíduo para estar com força e resistência da musculatura respiratória e não respiratória (motora) para fazer as atividades do dia a dia que a pessoa já fazia. O objetivo é preparar o paciente para voltar às atividades que executava antes de ser acometido pela doença”, salienta Keila.

Os pacientes que o CRF/Clínica de Fisioterapia da Unioeste recebe são encaminhados pelos hospitais e unidades de saúde do município de Cascavel.

No CRF/Clínica Escola de Fisioterapia, o paciente encaminhado passa pela avaliação da equipe multiprofissional, sendo encaminhado para as especialidades que seu caso demanda, também é feita a avaliação da capacidade pulmonar dos pacientes.

Conforme Keila, o tratamento da reabilitação pulmonar para os indivíduos que apresentaram sintomas respiratórios tem duração, em média, de três a seis meses, mas o tratamento pode variar conforme o nível de intensidade e acometimento do sistema respiratório pelo coronavírus, da idade do paciente e do diagnóstico de doenças respiratórias prévias.

Na clínica são atendidos pacientes com idades variadas (bebês, crianças, adolescentes, adultos jovens e idosos).

Clínica escola – Os atendimentos da Clínica de Fisioterapia da Unioeste são feitos pelos estudantes do 3º ano do curso de Fisioterapia na disciplina de Fisioterapia Pneumofuncional, com supervisão da professora Keila Okuda Tavares.

“Para os discentes, essa é uma experiência única de poder aprender na prática a realizar a avaliação e o tratamento de pessoas que foram acometidas por uma doença que está nos noticiários todos os dias”, comenta a professora.

Com informações da AEN

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.