Paraná

PF deflagra Operação Reach Stackers para combater o crime organizado no Terminal Portuário de Paranaguá

Foram expedidos oito mandados de prisão temporária e nove mandados de busca e apreensão nas cidades de Paranaguá, Matinhos e Piraquara. (Foto: AEN/Arquivo)

A Polícia Federal e a Receita Federal deflagram nesta sexta-feira (281) a Operação Reach Stackers, que tem como objetivo desarticular grupos criminosos que atuam dentro do terminal portuário de Paranaguá/PR, operacionalizando e promovendo a remessa de carregamentos de cocaína para o exterior em contêineres, sem o conhecimento do exportador, na modalidade conhecida internacionalmente como “RIP ON/RIP OFF”.

Foram expedidos oito mandados de prisão temporária e nover mandados de busca e apreensão nas cidades de Paranaguá, Matinhos e Piraquara. Também foram decretadas medidas patrimoniais de sequestro de imóveis e bloqueio de valores existentes em contas bancárias e de aplicações financeiras.

Os investigados são responsáveis por fornecer informações privilegiadas sobre posições, rotas e cargas dos contêineres para subsidiar organizações criminosas em ações no Porto de Paranaguá, além de movimentar os contêineres de forma a possibilitar a inserção dos carregamentos de cocaína dentro do pátio do terminal portuário.

As ações criminosas ocorriam de forma dissimulada e sem o consentimento da administração do Terminal de Contêineres de Paranaguá (TCP), que auxiliou no desenvolvimento das investigações.

A operação é um desmembramento da Operação Enterprise, deflagrada pela Polícia Federal no dia 23/11/2020 em diversos Estados da Federação e no exterior para combater um conglomerado de Organizações Criminosas voltadas para o crime de tráfico internacional de drogas.

Os investigados responderão pelos crimes de tráfico transnacional de entorpecentes.

A operação foi batizada Reach Stackers em alusão ao equipamento de mesmo nome utilizado em terminais portuários para o deslocamento de contêineres.

Com informações da Comunicação Social da Polícia Federal no Paraná

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.