Argentina

Quem foi São Valentim, bispo que inspirou o Dia dos Namorados no exterior

Comemorada em 14 de fevereiro nos Estados Unidos e na Europa, a data celebra o amor e revive a história do religioso que foi preso por fazer casamentos clandestinos. (Foto: Pixabay/Ilustração)

Apesar do Brasil celebrar o Dia dos Namorados em junho, casais apaixonados de muitos países comemoram o amor em 14 de fevereiro. Por quê? A data está diretamente ligada a São Valentim, o santo do amor. 

O bispo São Valentim viveu durante Império Romano, no século 3 – tempo em que muitas guerras estavam acontecendo. Naquela época, o Imperador Cláudio II proibiu o casamento porque achava que soldados solteiros eram combatentes melhores. Mas Valentim realizou muitas uniões clandestinamente.

Até que um dia ele foi descoberto, preso e condenado à morte.

Mesmo atrás das grades, o bispo recebeu cartas e flores de pessoas que acreditavam no amor e queriam agradecê-lo por realizar seus casamentos. Também foi na prisão que Valentim se apaixonou por uma mulher, mesmo sabendo que jamais ficariam juntos. A moça era cega e filha de um dos carcereiros.

Reza a lenda que foi Valentim que, milagrosamente, a fez enxergar novamente.

Antes de sua execução, no dia 14 de fevereiro de 269 d.C., o bispo escreveu uma carta de despedida à sua amada, terminando o texto com a frase: “De seu Valentim”.

Mais de 200 anos depois, no ano de 496, o Papa Gelásio declarou Valentim santo, fazendo com que milhões de religiosos recordassem seus feitos. A data de sua morte foi escolhida pela Igreja como Dia dos Namorados para incentivar casais que pretendiam se unir em matrimônio.

Apesar de não ter ficado com sua amada, não há dúvidas de que Valentim deixou um legado para o mundo. O “Valentine’s Day”, ou Dia Internacional do Amor, é até hoje uma das datas mais apaixonantes do ano.

Com informações da Galileu

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.