BrasilParaná

UEM conquista 15 cartas-patente e já soma 82 pedidos junto ao INPI

A pesquisa mais recente é sobre associação de herbicidas no controle de plantas daninhas resistentes ao glifosato, que se tornou problema para a agricultura e agropecuária. (Foto: UEM/Divulgação)

A Universidade Estadual de Maringá (UEM) conquistou 15 cartas-patente em inovação tecnológica e pediu outras 12, no ano passado. Com isso, o Núcleo de Inovação Tecnológica (NIT) da instituição soma 82 depósitos (pedidos) protocolados junto ao Instituto Nacional de Propriedade Intelectual (INPI).

As patentes obtidas em 2021 possibilitam a exploração e até a terceirização de tecnologia, invenção ou processo. A conquista mais recente ocorreu em 14 de dezembro, pode impactar as áreas agrícola e agropecuária. A pesquisa foi desenvolvida pela UEM e a empresa Basf, estabeleceu associação de herbicidas para espécies resistentes ao glifosato.

O composto químico é usado para controlar plantas daninhas, tanto de folhas largas quantas estreitas e que competem com as culturas. Mais especificamente, poderás ser aplicado em áreas industriais, rodovias e ferrovias, terrenos baldios e em áreas não cultiváveis.

A invenção se encontra parcialmente desenvolvida, podendo ser levada ao mercado com um investimento razoável. O estudo revela que as associações de herbicidas testadas mostraram resultados superiores às opções existentes para o controle de plantas daninhas resistentes ao glifosato.

O controle de Digitaria insularis e Conyza ssp resistentes a glifosato, com as novas associações, se apresentou uma opção eficiente e decisiva para solução deste grande problema na agricultura e agropecuária.

Os inventores são os pesquisadores Jamil Constantin (UEM), Rubem Silvério de Oliveira Jr. (UEM), Rafael Brugnera Belani (Basf), Herman Oscar Ghiglione (Basf), Sérgio Zambon (Basf), Everson Pedro Zeny (Basf) e Denis Fernando Biffe (UEM).

A invenção patenteada leva o título de “Associações de herbicidas em Digitaria insularis e Conyza ssp resistentes a glifosato: controle de plantas daninhas e seletividade para a soja”.

Portfólio – Lançado em outubro de 2021, o Portfólio de tecnologias é um material impresso, com 147 páginas coloridas. descrevendo, em detalhes, as cartas-patentes concedidas pelo Instituto Nacional da Propriedade Industrial (Inpi) à UEM em toda a sua história, das quais 31 foram obtidas de 2018 a 2021. Veja aqui também detalhes sobre a carta-patente obtida a partir da pesquisa desenvolvida pela universidade junto com a Basf.

Núcleo de Inovação Tecnológica – O Núcleo de Inovação Tecnológica da Universidade Estadual de Maringá (NIT) foi criado em 2008, ligado à Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação (PPG), com a finalidade de gerir a política institucional de inovação e propriedade intelectual.

O setor fomenta a inserção da UEM no processo de inovação nacional ao colaborar para o desenvolvimento sustentável, a geração de riqueza e a melhoria da qualidade de vida da população com base na inovação. Promove a proteção do conhecimento gerado na instituição e viabiliza a interação dela com o setor produtivo com vistas a propiciar a transferência de tecnologias, ao contribuir com o desenvolvimento tecnológico e social do País.

Com informações da AEN

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.