Brasil

Após chuva em Petrópolis, número de mortos chega a 44

Defesa Civil pede doação de água mineral. (Fotos: Governo no Estado do Rio de Janeiro)

Pelo menos 44 pessoas morreram devido à chuva que castigou Petrópolis, na região serrana fluminense, ontem (15). Vinte e uma pessoas foram socorridas com vida, segundo a Defesa Civil Estadual. Os bombeiros seguem nos trabalhos de busca por desaparecidos, uma vez que vários deslizamentos de terra e alagamentos foram registrados no município.

A Polícia Civil e o Ministério Público do Rio montaram forças-tarefas para ajudar na identificação de corpos e busca por desaparecidos. Uma estrutura foi erguida ao lado do Posto Regional de Polícia Técnica Científica (PRPTC) de Petrópolis para preservar os corpos.

Estabelecida também no PRPTC, a Delegacia de Descoberta de Paradeiros fará contato com famílias que buscam informações sobre desaparecidos.

Já o Ministério Público enviou grupos de promotores para ajudar na tarefa de identificação de corpos e auxiliar pessoas que tenham perdido seus documentos. O núcleo de busca de desaparecidos também atuará no município.

A sede do MPRJ em Petrópolis foi alagada durante o temporal, mas uma equipe de manutenção já foi enviada ao local.

Crimes – A Delegacia de Polícia de Itaipava (106ª DP) ficará responsável por investigar e registrar ocorrências de possíveis crimes ocorridos na cidade durante esse período de emergência.

Uma equipe da Delegacia do Consumidor fiscalizará eventual supervalorização de preços em estabelecimentos comerciais da região, que possam se aproveitar da tragédia para subir os valores de produtos básicos.

Doações – O secretário estadual de Defesa Civil do Rio de Janeiro, Leandro Monteiro, disse que o município está enfrentando problemas de falta de água e de luz, além de dificuldades com sinais de celulares, devido aos estragos provocados pela chuva de ontem.

A Águas do Imperador, concessionária responsável pela distribuição de água na cidade, disse que 19 bairros estão com o abastecimento comprometido. Entre as causas para o problema estão a falta de energia elétrica que impede o funcionamento de bombas e o rompimento de encanamentos.

A concessionária informou que equipes estão trabalhando para tentar restabelecer o sistema o mais rápido possível, mas ainda não há previsão para conclusão dos reparos.

Monteiro pediu que as pessoas façam doações de água mineral aos quartéis dos bombeiros, para que possam ser entregues à cidade.

Há ainda vários pontos que estão recebendo donativos, como a Câmara Municipal de Petrópolis, que está aceitando alimentos não perecíveis, água, roupas limpas para todas as idades, produtos de higiene pessoal, produtos de limpeza, roupas íntimas e roupa de cama, entre outros.

Na cidade do Rio de Janeiro, o MPRJ está recebendo doações em sua sede, na Avenida Marechal Câmara, 370, no centro.

A Secretaria de Estado de Infraestrutura e Obras está mobilizada com maquinário na cidade: são 20 caminhões, 20 retroescavadeiras, 10 escavadeiras hidráulicas, 5 caminhões vacoll e 10 carros-pipa.

Medicamentos e insumos – Dois caminhões com medicamentos e insumos da Secretaria Estadual de Saúde já estão na cidade. Oito ambulâncias fazem remoção de pacientes e ações de socorro. A Central Estadual de Regulação está empenhada para transferências imediatas. Há doses extras de vacinas antitetânicas, e equipes estão mobilizadas para emissão de certidões de óbitos.

Mais de 180 pessoas que moram em áreas de risco foram acolhidas. As famílias estão em estruturas que funcionam em escolas e recebem suporte de profissionais das áreas da Saúde, Educação, Agentes Comunitários, além da Defesa Civil. Elas estão nas localidades do Centro, São Sebastião, Vila Felipe, Alto Independência, Bingen, Dr. Thouzete e Chácara Flora.

Equipes da Secretaria Estadual de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos trabalham no cadastramento das famílias desalojadas e desabrigadas. O Núcleo de Assistência ao Cidadão (NAC) viabiliza documentação para a população que perdeu seus bens.

Com informações da Agência Brasil e do Governo do Estado do Rio de Janeiro 

Um comentário
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.