BrasilParaná

Transporte de cargas por trem aos portos paranaenses aumenta 63% em janeiro

No primeiro mês do ano, 569.559 toneladas chegaram ou saíram em vagões. (Foto: Cláudio Neves/Portos do Paraná)

A participação do modal ferroviário no transporte de cargas pelos portos do Paraná foi maior no último mês de janeiro. Em comparação o mesmo período ano passado, o aumento foi de 63%. No primeiro mês deste ano, 569.559 toneladas chegaram ou saíram em vagões. O volume equivale a 13,7% do total movimentado. Em janeiro de 2021, 301.434 toneladas – o corresponde a 8,4% do total movimentado– foram transportadas pelos trilhos. 

De acordo com o diretor-presidente da Portos do Paraná, Luiz Fernando Garcia, os custos desse transporte até os portos – ou dos portos até o país de destino, no caso das importações – é determinante na escolha do modal.

“Porém, a infraestrutura que o porto oferece para a recepção ou carregamento é também é fundamental para que os custos do transporte ferroviário sejam mais atrativos. É por isso que estamos investindo em projetos como da moega exclusiva para descarga ferroviária de granéis sólidos de exportação, o Moegão”, afirma Garcia.

A empresa pública também tem incentivado os terminais privados a ampliarem a capacidade para os vagões, nos últimos anos.

Rodovia – Apesar de 83,8% da movimentação de janeiro ainda ser embarcada ou desembarcada de caminhões – o equivalente a 3.483.843 toneladas – a participação do modal rodoviário caiu quase 5%.

Em 2021, nos mesmos 31 dias, 3.173.899 toneladas de carga (88,2%) foram transportadas pelas rodovias do país com sentido aos portos paranaenses ou partindo dos terminais. Além disso, 2,5% da movimentação (104.953 toneladas) foram líquidos, transportados pelo oleoduto.

Pátio – No primeiro mês deste ano, quase 26 mil caminhões passaram pelo Pátio de Triagem, antes de descarregar soja, farelo e milho no Porto de Paranaguá. A quantidade é mais que o dobro dos 11.096 recebidos em janeiro de 2021.

Origem – Das 655.883 toneladas de soja em grão que vieram em caminhões do Interior para descarregar nos terminais do Porto de Paranaguá, antes de seguirem para exportação, 50% (329.058 toneladas) têm origem no próprio Paraná. Na sequência, os principais estados de origem da carga são Mato Grosso do Sul (16%) e Mato Grosso (10%).

De farelo de soja, transportado de caminhão da origem ao porto, foram 225.976 toneladas. Desse volume, 55% são do Paraná (123.509 toneladas), 21% de Goiás e 18% do Mato Grosso do Sul.

Das 177.392 toneladas de milho que chegaram para descarga pelo transporte rodoviário, 75% (133.151 toneladas) tem origem do Paraná, 14% no Mato Grosso e 6%, Mato Grosso do Sul.

Confira a participação – por modal e produto:

CAMINHÕES

  •         MILHO – 158.789 toneladas (73%)
  •         SOJA – 601.572 toneladas (84%)
  •         FARELOS – 271.692 toneladas (79%)
  •         FERTILIZANTES – 827.815 toneladas (94%)
  •         ÓLEOS VEGETAIS – 77.418 toneladas (100%)
  •         DERIV. PETROL. – 334.663 toneladas (76%)
  •         CONTAINER – 845.022 toneladas (89%)
  •         TRIGO – 30.209 toneladas (100%)
  •         ALCOOL/ METANOL – 83.140 toneladas (100%)
  •         AÇÚCAR – 59.088 toneladas (27%)​​​​​​

VAGÕES

  •         MILHO – 58.227 toneladas (27%)
  •         SOJA – 113.275 toneladas (16%)
  •         FARELOS – 73.473 toneladas (21%)
  •         FERTILIZANTES – 56.453 toneladas (6%)
  •         CONTÊINERES – 105.084 toneladas (11%)
  •         AÇÚCAR – 163.047 toneladas (73%)

Com informações da AEN

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.