BrasilParaná

Empresa selecionada pelo BRDE Labs apresenta soluções para produção por inovação aberta

A Ibema, fabricante de papel-cartão, identificou possíveis melhorias de produção e buscou soluções por meio de inovação aberta, com apoio de startups paranaenses. (Foto: Alexandre Carnieri/Ibema/Divulgação)

Uma das empresas participantes do projeto BRDE Labs, programa do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), foi a Ibema, fabricante de papel-cartão. Ela foi selecionada para identificar possíveis melhorias de produção e buscar soluções por meio de inovação aberta, com apoio de startups paranaenses.

O processo integra um projeto de transformação digital da empresa, que tem fábricas de papel-cartão em Turvo (PR) e Embu das Artes (SP), além de escritório e centro de distribuição na região de Curitiba.

O BRDE Labs foi criado para acelerar o desenvolvimento do ambiente de inovação na Região Sul. Seu objetivo é fomentar projetos em nível estadual, ligados às necessidades dos ecossistemas locais e alinhados ao Governo Estadual.

“Nós temos a característica própria de desenvolver a conectividade da ideia e sua utilização, partindo dos contatos com os clientes e do entendimento de suas necessidades”, explica o presidente do BRDE, Wilson Bley Lipski. “A partir dessa fase, fazemos a aceleração e, no final, o ecossistema, além de valorizado, ganhará novas empresas, uma valorização da produção de novas ideias e conceitos”, analisou.

Em 2021, no Paraná, o BRDE Labs teve 177 startups inscritas, em parceria com o hub de startups Hotmilk, da PUC-PR. Dezoito delas passaram pela fase de pré-aceleração e nove, pela de aceleração. Em 2022, o tema trabalhado será ESG – Environmental, Social and Governance (Ambiental, Social e Governança, em português).

“A inovação aberta envolve a redução de custos, sem a mentalidade do segredo industrial, e traz grande sinergia entre empresas consolidadas e iniciantes. Todos saem ganhando”, explica Débora Botini, gerente da Ibema, que intermediou a definição dos desafios a serem lançados dentro do escopo do programa.

Após sua adesão ao BRDE Labs, a Ibema seguiu três etapas: o lançamento dos desafios para inovação aberta de soluções, a transformação cultural interna, pela qual os colaboradores passaram por trilhas de conhecimento, e a definição das estratégias de inovação. “Queríamos que todos os envolvidos entendessem a fundo o desafio, para abordar a solução da melhor forma e engajarem-se em sua implementação”, conta Danilo Torres, gerente de TI da Ibema.

Foi identificada a necessidade de criar uma central de serviços internos de TI em nuvem para a Ibema, e a startup AgiDesk foi selecionada para encontrar a solução.

“Eles desenvolveram uma plataforma que recebe e centraliza as demandas da companhia, com relatórios estratégicos para tomada de decisão, além de indicadores-chave que nos permitem dar foco onde é necessário. No final do dia, temos um time mais organizado e produtivo e nosso cliente interno mais bem atendido.”

A empresa foi contratada em dezembro para implementar a central.

Mais sobre o programa BRDE Labs no site brdelabs.com.br.

Com informações da AEN

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.