FronteiraParaná

Em apoio a Desafio de Pesca, Governo promove soltura de 105 mil peixes nativos no Rio Paraná

Ação é do programa Rio Vivo, que envolve educação ambiental, com limpeza dos rios, soltura de peixes e plantio de mudas de árvores nativas. Soltura foi em parceria com a Associação Náutica de Pesca Esportiva de Missal (Anpemi). (Foto: Sedest/Divulgação)

O Governo do Paraná promoveu a soltura de 105 mil peixes nativos juvenis na Bacia do Rio Paraná, no município de Missal, no Oeste do Estado, neste domingo (27). A ação fez parte do programa Rio Vivo e foi executada pela  Superintendência de Pesca e Bacias Hidrográficas do Paraná, vinculada à Secretaria do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo (Sedest).

O programa envolve a comunidade e os participantes de torneios de pesca em ações de sustentabilidade e de educação ambiental, com limpeza dos rios, soltura de peixes e plantio de mudas de árvores nativas nas margens dos rios.

“Para conservar as espécies nativas, precisamos repovoar os rios e isso é feito dentro de um programa e tem uma resolução específica, para que cada peixe seja solto dentro de sua Bacia Hidrográfica, com sua especificidade”, afirma o secretário do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo, Márcio Nunes.

Reprodução – Para esta soltura, foi escolhida uma área de preservação ambiental, cuja pesca é proibida por ser um leito do rio que deságua no Lago de Itaipu.

“O local é considerado um berçário para os peixes e o fato de serem juvenis aumenta muito os índices de sobrevivência”, destaca o superintendente de Pesca e Bacias Hidrográficas do Paraná, Francisco Martin. 

Soltura – A ação foi promovida pela Sedest, em parceria com a Associação Náutica de Pesca Esportiva de Missal (Anpemi), que reuniu 270 embarcações no 21º Desafio Internacional de Pesca à Corvina. Os peixes foram soltos no rio pelos participantes do torneio. A competição aconteceu sábado e a soltura domingo. 

Rio Vivo – A Resolução Sedest nº 10/2021 define normas para estocagem ou repovoamento de peixes. O objetivo é proteger e recompor a fauna silvestre nativa. De acordo com a resolução, é proibido repovoar os rios do Estado com espécies exóticas ou invasoras, de origem estrangeira. 

Desde que a normativa foi lançada, o Programa Rio Vivo já adquiriu 2,6 milhões de peixes juvenis para contribuírem com o repovoamento das Bacias Hidrográficas dos rios Ivaí, Iguaçu, Paraná e Paranapanema. Destes, o Governo do Estado já soltou cerca de 1,4 milhão, sempre concomitante com as ações de educação ambiental.

Com informações da AEN

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.