ParanáTurismo

Portos do Paraná começa vistorias do projeto que vai certificar boas prática ambientais na Ilha do Mel

Certificação de qualidade vai reconhecer pousadas e restaurantes que fazem a separação correta de resíduos, destinação e reciclagem do lixo produzido. (Foto: Portos do Paraná/Divulgação)

Pousadas e restaurantes da Ilha do Mel que fazem a coleta seletiva e a destinação correta do lixo se preparam para receber um selo de qualidade. As vistorias começaram na terça-feira (22), e são realizadas por um comitê que reúne equipes da Portos do Paraná, Prefeitura de Paranaguá e moradores.

O Selo Verde é uma iniciativa para proteger o meio ambiente e as belezas naturais de um dos destinos paranaenses mais procurado por turistas do mundo todo.

“A iniciativa surgiu por uma sugestão da própria comunidade da Ilha. Durante uma oficina de diagnóstico socioambiental participativo, que fazemos regularmente com eles, veio a ideia de desenvolver uma forma de mostrar que aqueles comerciantes e moradores fazem a separação dos resíduos e reciclam tudo o que é possível”, diz o diretor de Meio Ambiente da empresa pública, João Paulo Santana.

Os estabelecimentos interessados em receber o Selo se inscreveram no projeto e serão certificados pelo período de um ano.

“Todos os participantes passarão pela vistoria e, se aprovados, receberão uma placa indicando o compromisso assumido com a responsabilidade ambiental. A conquista é um diferencial para fortalecer e valorizar a imagem da empresa”, destaca Pedro Cordeiro, coordenador de Sustentabilidade da Portos do Paraná.

Vistorias – Carla Simone Felippe, que mora há 20 anos na Ilha do Mel e é proprietária da pousada Recanto das Flores, foi a primeira a inscrever seu estabelecimento no projeto.

“Fazemos aqui todo tipo de reciclagem, separamos o lixo reciclável do lixo orgânico, separamos as latinhas e tampinhas de garrafas. Assim, ajudamos preservar a natureza e também o pessoal que recolhe lixo na Ilha”, diz.

O empresário Rodrigo Guimarães Kleina, da pousada Morada das Flores, acredita que ter o Selo Verde mostra que o estabelecimento cuida do meio ambiente em um parque de preservação que recebe milhares de turistas todos os anos.

“Quem vem para a Ilha do Mel, vem por causa do contato com a natureza, o chamado turismo verde. Quanto mais essas iniciativas forem reconhecidas, maior é a tendência de que outros empresários, que ainda não reciclam, comecem a fazê-lo para não ficar para trás. Essa certificação ajuda a conscientizar, mudar a forma de pensar de quem não age assim”, afirma.

Critérios – Nesse primeiro ano, são três os critérios exigidos para que o estabelecimento possa ter o Selo Verde:

  • possuir lixeira ou espaço para descarte dos resíduos, dentro do terreno, acessível aos coletores e inacessível a animais;
  • separar os resíduos nas categorias corretas e acondicionar nos sacos indicados (preto para rejeito, azul para reciclável, ráfia para grande quantidade de garrafas de vidro, saco preto + ráfia para grandes quantidades de restos de comida); e
  • ter recebido a visita do Projeto Compostar para Cultivar, com o objetivo de conhecer e aprender os benefícios da compostagem; e, se viável, começar a praticar a compostagem.

Com informações da AEN

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.