BrasilParaná

Inscrições para o concurso Café Qualidade Paraná estão abertas

Interessados devem se inscrever até 30 de setembro em uma das unidades municipais do Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná-Iapar-Emater (IDR-Paraná). (Foto: IDR-PR/Divulgação)

Os interessados em disputar o concurso Café Qualidade Paraná 2022 podem se inscrever até 30 de setembro em uma das unidades municipais do Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná-Iapar-Emater (IDR-Paraná). O certame é aberto a proprietários, meeiros, arrendatários e parceiros. A intenção é promover a bebida e valorizar o cafeicultor paranaense.

Além de premiar os vencedores, a edição deste ano celebra também o 20º aniversário do concurso.

“Já tradicional no calendário de eventos técnicos da agricultura paranaense, o Café Qualidade Paraná busca a valorização do produtor e a promoção do café especial paranaense, que é excepcional”, explica Paulo Sérgio Franzini, secretário-executivo da Câmara Setorial do Café, entidade que promove a disputa.

O concurso é disputado nas categorias café natural, cereja descascado e fermentação induzida. Nos cafés de processamento natural, ou via seca, os grãos seguem inteiros para a secagem, enquanto têm a polpa retirada no método cereja descascado, ou via úmida.

Até pouco tempo atrás, grãos fermentados eram tidos como defeituosos, devido ao péssimo aspecto visual que tinham e ao gosto de vinagre ou de remédio impregnado à bebida. Descobriu-se, no entanto, que bem conduzida e controlada, a fermentação pode aperfeiçoar e até acrescentar atributos ao café.

A prática vem crescendo nos últimos anos, impulsionada principalmente por produtores e consumidores jovens interessados em obter novas experiências relacionadas a aromas, sabores e nuanças da bebida, e esse tipo de processamento dos grãos foi acrescentado ao concurso Café Qualidade Paraná.

É possível disputar até duas categorias simultaneamente, mas o produtor deve estar atento ao tamanho do lote, que é de até cinco sacas (60 quilos) beneficiadas para café natural e cereja descascado, e de 15 a 60 quilos na classe fermentação induzida. Os grãos devem ter peneira 16 ou superior, menos de 11,5% de umidade e apresentar no máximo 12 defeitos.

Avaliações – Os lotes inscritos passam por duas avaliações. A primeira é física, com base na Classificação Oficial Brasileira (COB), e detecta a quantidade de grãos defeituosos nos lotes como, por exemplo, grãos quebrados ou avariados. Na segunda avaliação – prova de xícara de acordo com a metodologia da Specialty Coffee Association (SCA) – são analisados aroma, doçura, acidez, corpo, sabor, gosto remanescente e balanço da bebida.

Os vencedores serão divulgados na solenidade de encerramento do certame, prevista para 24 de novembro, em Apucarana, cidade da cafeicultora Solange Aparecida de Araújo, campeã da categoria natural em 2021.

A íntegra do regulamento pode ser acessada no site cafequalidadeparana.com.br.

Prêmio – Em cada categoria, os finalistas classificados até o terceiro lugar têm garantida a compra de seu lote pela cotação da B3 no dia anterior à data do evento de encerramento, acrescido de um ágio mínimo de 50%.

Ao fazer a inscrição, o cafeicultor pode também optar por uma avaliação do quesito sustentabilidade da produção de seu lote. Os profissionais do IDR-Paraná fazem uma auditoria da propriedade e as três mais bem posicionadas são premiadas com um certificado de boas práticas.

Promoção – O concurso Café Qualidade Paraná é uma realização da Câmara Setorial do Café, juntamente com o IDR-Paraná, Secretaria de Agricultura e do Abastecimento do Paraná (Seab) e a Associação dos Engenheiros Agrônomos de Londrina.

Com informações da AEN 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.