Foz do IguaçuFronteira

LIRAa vistoria 4.876 imóveis e 2.069 armadilhas em Foz do Iguaçu

Levantamento de Índice Rápido para Aedes aegypti foi feito entre os dias 29 de agosto a 2 de setembro; a cada 100 armadilhas, em 10 foram capturados mosquitos transmissores da dengue. (Foto: Thiago Dutra/PMFI/Divulgação)

O Levantamento de Índice Rápido para Aedes aegypti (LIRAa) realizado pelo Centro de Controle de Zoonoses vistoriou 4.876 imóveis e fez a leitura de 2.069 armadilhas em Foz do Iguaçu. Os resultados apontam um Índice de Infestação Predial (IIP) de 0,74%, considerado de baixo risco para epidemia de dengue; e um Índice Predial de Armadilhas (IPA) de 09,6%, considerado de alto risco.

O LIRAa foi feito entre os dias 29 de agosto e 2 de setembro deste ano, referente ao ano epidemiológico 2022/2023, iniciado em agosto. O IPP demonstra que, em relação aos imóveis, menos de uma a cada 100 residências vistoriadas continha criadouros do vetor. Já o IPA revela que a cada 100 armadilhas lidas, em aproximadamente 10 foram capturados mosquitos transmissores da dengue.

De acordo com a análise do CCZ em conjunto com a Diretoria de Vigilância em Saúde, os resultados mostram que, em relação ao último LIRAa, realizado em maio deste ano, houve uma queda na captura das duas fases do mosquito (adulta/larva) nas amostras verificadas. Ainda segundo a análise, os índices obtidos neste último LIRAa são próximos aos encontrados em setembro de 2021.

“Boa parte das amostras encontradas foram em locais onde, infelizmente, há a falta de cuidado da população, com descarte irregular de lixo e manutenção de recipientes com água parada”, destaca a diretora do CCZ, Renata Defante Lopes. “Os resultados do LIRAa são fundamentais para que possamos orientar nosso plano de ação para a prevenção e combate aos focos do mosquito transmissor da dengue. Desta forma, obtemos os locais onde há o maior risco e devemos focar nosso trabalho”, explica Renata.

Até o dia 20 de setembro, foram notificados 1.273 casos suspeitos de dengue em Foz do Iguaçu, dos quais 58 foram confirmados.

Alerta – A dengue, chikungunya e febre do Zika vírus pertencem ao rol das arboviroses, doenças causadas por vírus, sendo transmitidas pela picada da fêmea do mosquito Aedes Aegypti. A dengue constitui na atualidade, em nível global, a mais importante arbovirose em termos de morbidade, letalidade e implicações econômicas.

A região de Foz do Iguaçu é considerada endêmica, por este motivo devemos estar sempre em alerta e mantermos os cuidados básicos para a prevenção de focos do mosquito transmissor da doença.

Com informações da PMFI

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.